Mossoró/RN, 27 de Outubro de 2021

Com pagamentos em dia, CG Construções usa avisos para pressionar por aditivos

A obra do Hospital da Mulher, em Mossoró, foi um dos assuntos da semana. A possibilidade de paralisação dos serviços foi levantada depois que a empresa CG Construções assinou aviso prévio para mais 150 funcionários.

Rapidamente, ligaram a hipótese de demissão em massa pela empresa executora da obra ao atraso de pagamento por parte do Governo do Estado. No entanto, o PORTAL DO OESTE apurou que não é isso que está acontecendo.

Não existem pagamentos de medições pendentes, informação confirmada pela própria empresa em reunião realizada na última terça-feira (23), em Natal. Na verdade, a CG Construções está pressionando o Governo do Estado por aditivos, inclusive já enviou ofícios ao Projeto Governo Cidadão requerendo reajustes contratuais.

O PORTAL DO OESTE apurou ainda que a forma utilizada pela construtora cearense para pressionar o Governo, assinando aviso prévio de mais de 150 trabalhadores, foi muito mal vista e não será admitida.

Após a reunião de terça-feira, o Projeto Governo Cidadão reiterou acordo já firmado no dia 25 de fevereiro último, de analisar os pedidos de reajustes juntamente com a readequação dos projetos da obra.

A CG Construções se comprometeu em cancelar os avisos prévios e assegurar a continuidade da obra do Hospital da Mulher.

O PORTAL DO OESTE ainda não conseguiu falar com a empresa.

Postado em 28 de abril de 2019