Mossoró/RN, 07 de Dezembro de 2021

BLOG DO MAGNOS: O Parque Municipal de Mossoró e a podridão que o cerca

O Parque Municipal foi uma das poucas boas coisas que surgiram em Mossoró nos últimos anos. Mas ele paga por ter nascido em meio a uma grande podridão.

O Parque, na verdade, não era nem para ter vindo ao mundo. Para ele nascer, uma praça, prevista para o Corredor Cultural de Mossoró, teve que morrer.

A criação do Parque tem vários personagens e história muito mal contadas. Tudo começou com um suspeito leilão realizado em Recife/PE, que ganhou vida nova com um acordo esdrúxulo entre a gestão da prefeita Cláudia Regina e empresários que se diziam donos de todo o Corredor Cultural de Mossoró, comprado no leilão.

Depois de anos de disputa judicial, Cláudia Regina celebrou acordo cedendo parte do Corredor Cultural para os empresários em troca de um terreno para instalação da empresa AeC e a chamada Praça das Oiticicas, que seria construída pela empresa de telemarketing.

Cláudia Regina foi cassada pela justiça eleitoral e deu lugar a Francisco José Jr que, em mais um enredo cheio de mistérios, trocou a Praça das Oiticicas pelo projeto inicial do Parque Municipal.

Tudo isso tem sido alvo de investigação pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte. O processo revela mais histórias obscuras em seus depoimentos. A AeC, por exemplo, diz que liberou os recursos para a construção da praça, mas eles, ou parte deles, se transformaram no parque.

Agora, surgem donos também para parte do parque. Donos que levaram três anos para reclamar da invasão do empreendimento público em sua propriedade.

Tudo isso não passa de uma história mal contada do começo ao fim. E só isso!

Postado em 9 de julho de 2019