Mossoró/RN, 25 de Maro de 2023

Se Silveira deixou no fundo do poço, Rosalba agora caminha para quebrar Mossoró

Quando reassumiu a Prefeitura de Mossoró em janeiro em 2017, a prefeita Rosalba Ciarlini jogou ao mundo que o ex-prefeito Silveira Júnior havia deixando um rombo de R$ 150 milhões. Culpa do desastre administrativo que havia sido a gestão do seu antecessor, que colocara Mossoró no fundo do poço, dizia a nova velha prefeita e toda a cidade.

Quase três anos depois, as evidências e as poucas informações disponíveis (transparência não é o forte das gestões municipais de Mossoró) apontam que o rombo deixado por Silveira só cresceu e que, se antes Mossoró estava no fundo do poço, agora caminha para quebrar no governo Rosalba.

Somente com a Previ Mossoró, o rombo nos cofres do Município cresceu R$ 43 milhões na atual gestão Rosalba, de acordo com dados revelados pelo Sindserpum, totalizando mais de R$ 100 milhões até agosto passado.

E isso é só o começo. A gestão Rosalba deve a Deus e o mundo, como diria o ditador popular. A lista de contas a pagar inclui casos flagrantes de crime de improbidade de administrativa, como no caso da Previ Mossoró, dos empréstimos consignados e recursos carimbados para a saúde, que estão tendo destinos incertos.

A lista de credores atual da Prefeitura de Mossoró é extensa e inclui Receita Federal, INSS, construtoras, hospitais, clínicas, cooperativas médicas e muitos outros.

Serviços básicos também estão com pagamentos pendentes, incluindo fornecimento de combustível, energia elétrica, telefone e, até, limpeza pública, que tem contrato milionário e suspeito, segundo o Ministério Público de Contas.

Se Silveira foi um péssimo gestor (e toda Mossoró sabe disso), Rosalba segue na mesma batida (só o rosalbismo nega). Eleita para tirar Mossoró do caos criado por Silveira, a Rosa fracassou. Quem esperava uma versão Rosalba dos tempos de ouro, com recursos fartos, recebeu a cópia dela como governadora. E todo mundo sabe no que deu.

Falta de desenvolvimento, salários atrasados e serviços públicos que não funcionam, principalmente na saúde, são o resultado de anos de falta de gestão em Mossoró.

Postado em 14 de novembro de 2019