Mossoró/RN, 21 de Abril de 2021

Isolda realiza audiência sobre o enfrentamento à violência contra a mulher na Câmara de Mossoró

Propositura da deputada estadual Isolda Dantas (PT), a Audiência Pública: “A gente mete a colher – prevenção e enfrentamento à violência contra a mulher”, tem o objetivo de debater estratégias de combate à violência na vida das mulheres do campo e da cidade, nos transportes, nos espaços de trabalho ou lazer. Em alusão ao dia internacional da mulher, a audiência ocorrerá nesta sexta-feira, 6 de março, a partir das 9h, no Plenário da Câmara Municipal de Mossoró.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil tem a 5ª maior taxa de feminicídios, assassinatos de mulheres em situação marcada pela desigualdade. A cada duas horas, uma mulher é assassinada no país. De acordo com dados do Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO), de janeiro a novembro de 2015 a 2019, aconteceram 539 assassinatos de mulheres, sendo que 73,84% corresponde aos crimes de crimes em geral, mas 26,16% são feminicídios, ou seja, tem relação com violência doméstica ou de gênero. 
Natal fica à frente no RN com 23,56% dos casos de feminicídios, sendo 127 assassinatos de mulheres, em segundo lugar vem Mossoró com 65 casos e depois São Gonçalo do Amarante com 31 casos.

Em 1 ano de mandato, Isolda já apresentou 6 projetos de lei em defesa das mulheres. A proposição da audiência é mais uma das ações da deputada voltada para esta pauta: “Para nós, é fundamental viver numa sociedade mais igualitária e livre. E isso passa por uma sociedade sem desigualdade e sem violência contra as mulheres. Por isso, não só no dia internacional da mulher, mas todos os dias, se tem violência contra a mulher, a gente mete colher”. 
A audiência será composta por movimentos sociais e órgãos relacionados as mulheres, com participação da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), Grupo Mulheres em Ação (GMA), Secretaria de Estado de Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e Direitos Humanos (SEMJIDH), Delegacia Geral da Polícia Civil do RN (DEGEPOL), Vara da Violência doméstica e OAB-Mossoró.

Postado em 3 de março de 2020