Mossoró/RN, 17 de Maio de 2021

Novos leitos de UTI do Tarcísio Maia deveriam ter sido instalados por Rosalba

Em meio a pandemia do novo coronavírus, surgiu uma polêmica em Mossoró: quem é o responsável pelos novos leitos de UTI do Hospital Regional Tarcísio Maia. Já apareceram vários responsáveis e também pessoas (rosalbistas) se sentindo indignadas em razão de o governo atual ter divulgado a abertura dos novos leitos.

Talvez não seja possível apontar os verdadeiros responsáveis por esses novos equipamentos de saúde. Foram muitas pessoas, empresas e instituições envolvidas. Mas é fácil indicar quem poderia ter sido, mas não foi.

É o caso, por exemplo, da atual prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini. Ela poderia ter sido a responsável pela abertura desses novos leitos. Mas não foi. Se tivesse sido, ela teria evitado esse chorôrô todo dos seus súditos.

E, claro, eu explico. O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (Cremern), que também é responsável pelos novos leitos, moveu uma Ação Civil Pública (ACP) na Justiça Federal cobrando a instalação de novos leitos de UTI lá em 2013, há cerca de sete anos. Na época, quem era a governadora? Acertou nas mosca. Rosalba Ciarlini.

Após a ação do Cremern, Rosalba ainda passou mais um ano como governadora, em 2014. Não faltou tempo para ela, como governadora, mossoroense e médica, atender o pedido de abertura de novos leitos de UTI. Mas sabe quantos novos leitos foram instalados pela atual prefeita de Mossoró? Nenhum.

Segundo o Cremern, somente em 2017, no penúltimo ano já do governo Robinson Faria, é que o Estado abriu 10 leitos de UTI, contratados ao Hospital Wilson Rosado.

Rosalba como governadora não abriu nenhum leito de UTI. Mas os seus seguidores se acham no direito de questionar o governo atual, alegando que os equipamentos foram providenciados pela sociedade. E na época de Rosalba governadora, não havia sociedade?

Chegamos aqui a um dilema. Foi fragilidade ou apenas falta de vontade de Rosalba para a sociedade mossoronse se mobilizar no governo de uma filha da Paraíba e não na gestão de uma mossoroense e a sua principal eleitora?

Deixo para os próprios rosalbistas decidirem.

Postado em 10 de abril de 2020