Mossoró/RN, 27 de Setembro de 2022

Caso não tratado, priapismo pode levar a impotência

O Priapismo é a condição na qual o pênis ereto não retorna ao seu estado flácido habitual. Essa ereção é involuntária e pode durar de minutos a horas. Geralmente dolorosa e muitas vezes danosa, podendo levar à impotência sexual irreversível quando não tratada.

Após a ejaculação normal, as veias que drenam o sangue do pênis se relaxam e permitem que o sangue acumulado no órgão retorne para o restante do corpo. Isso faz com que o pênis volte a sua flacidez habitual. Em muitos casos de priapismo esse fenômeno não acontece e o pênis permanece insistentemente ereto.

Dependendo da causa, o priapismo pode exigir intervenção de urgência (ocorre em cerca de 95% dos casos) ou apenas acompanhamento. O diagnóstico é feito de forma clínica pelo urologista. Em algumas ocasiões o médico pode solicitar exames complementares.

“Quando o priapismo ocorreu por uma causa conhecida, como injeções ou medicamentos orais, deve-se ter o cuidado de evita-las”, alertou o urologista Dr Éddio Dantas, que explicou acrescentou como é o tratamento.

“Alguns medicamentos podem levar ao priapismo, como por exemplo o viagra, além de doenças no sangue, como anemia falciforme. O tratamento pode ser por meio de intervenção médica simples, mas em alguns casos chega à cirurgia”, destacou o urologista.

Se não tratado, o priapismo pode ter complicações importantes, inclusive levando a disfunção erétil grave.

Postado em 3 de maio de 2020