Mossoró/RN, 10 de Maio de 2021

Prefeitura de Mossoró vai completar dois meses de escolas fechadas sem entregar primeira remessa de alimentos para estudantes

Mossoró completa no próximo domingo (17) dois meses de suspensão das aulas na Rede Municipal de Ensino. Dois meses que muitos estudantes não têm acesso à merenda escolar e que não receberam um único quilo de feijão ou de arroz da Prefeitura de Mossoró.

A prefeita Rosalba Ciarlini publicou decreto e suspendeu as atividades escolares a partir do dia 18 de março. De lá pra cá, quase dois meses já passaram e a Secretaria Municipal de Educação ainda não fez chegar a todos os estudantes a primeira remessa dos chamados kits de alimentação.

Como já denunciado anteriormente pelo PORTAL DO OESTE, a distribuição dos alimentos é lenta e sem continuidade. Uma ou duas vezes por semana, a Prefeitura de Mossoró escolhe algumas escolas ou creches e faz a entrega. O restante que espere.

Um exemplo é a Unidade de Ensino Infantil Noeme Borges. Encravada nas Malvinas, essa creche também atende crianças da Favela do Velho e do Jardim das Palmeiras, numa das regiões mais pobres e esquecidas de Mossoró. A merenda escolar é para muitas crianças dessa área periférica, a principal refeição do dia. Mas somente hoje, 58 dias depois do início da suspensão das aulas, é que a assistência mínima da Prefeitura de Mossoró deve chegar até elas.

A situação das crianças das Malvinas, Favela do Velho, Jardim das Palmeiras e demais localidades dessa região do bairro Dom Jaime Câmara só não é pior do que daquelas que ainda continuarão aguardando pelo arroz e feijão da Prefeitura de Mossoró.

O Município promete que todos os alunos regulamente matriculados na Rede Municipal de Ensino serão contemplados. Só não se sabe quando.

Postado em 15 de maio de 2020