Mossoró/RN, 25 de Setembro de 2022

Primeiro dia de fiscalização confirma gravidade da omissão da Prefeitura durante a pandemia

Com 11 lojas fechadas e outra notificada, o primeiro dia de fiscalização para cumprimento das medidas de prevenção ao novo coronavírus no Centro da cidade, só comprova a gravidade da omissão da Prefeitura de Mossoró durante a pandemia.

Somente agora, 813 casos confirmados e 40 mortes depois, a Prefeitura de Mossoró resolveu fiscalizar o que, com certeza, foi uma grande colaborador do aumento de casos e, consequentemente, de mortes. A abertura de lojas de forma irregular e a formação de aglomerações no Centro sempre foi evidente ao longo da pandemia, só o Município que não enxergava ou simplesmente não queria fiscalizar. Com isso, os números da covid-19 em Mossoró foram e continuam crescendo sem parar.

Se a prefeita Rosalba Ciarlini tivesse levado a sério os seus próprios decretos e determinado a fiscalização desde o começo da pandemia, não há dúvidas que muitos dos mais de 800 casos confirmados e, pelo menos, alguns dos 40 óbitos teriam sido evitados.

A omissão de Rosalba em fazer valer os seus próprios decretos, que não passavam de meros documentos, foi decisiva para Mossoró se tornar o epicentro da covid-19 no Rio Grande do Norte. A fiscalização, só agora, vai contribuir no futuro da pandemia, mas não tem o poder de reduzir os casos já confirmados ou trazer de volta as vidas já perdidas.

Só nos resta continuar denunciando e cobrando que a fiscalização seja contínua e não apenas um espetáculo de um dia, em respeito aos que já se tornaram vítimas do coronavírus e em defesa daqueles que ainda poderão ser.

Postado em 26 de maio de 2020