Mossoró/RN, 06 de Maio de 2021

Com dinheiro em caixa, Rosalba tem que assumir o seu papel de líder e deixar de esperar pelo Estado

Que o Governo do Estado tem suas responsabilidades no enfrentamento a essa pandemia do novo coronavírus em Mossoró, todo mundo sabe. Que a falta de leitos de UTI em parte é culpa da gestão Fátima Bezerra, todo mundo também sabe.

O que ninguém sabe é o motivo de a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, ter dinheiro em caixa e não assumir o protagonismo do combate à covid-19, preferindo esperar que o Estado resolva as coisas.

Em mais uma videoconferência com a governadora na última segunda-feira (01), a prefeita voltou a pedir mais leitos de UTI para a covid-19. Leitos que já foram prometidos há algum tempo, inclusive pela própria prefeita, mas que apenas parte se tornou realidade até o momento.

Mas não dá mais para continuar esperando por Fátima ou quem quer seja. Rosalba precisa assumir o papel para qual foi eleita e se tornar a líder que todos esperam ou pelo menos esperavam.

Rosalba tem que parar de olhar para a conta gorda da Prefeitura de Mossoró, turbinada pelos recursos repassados pelo Governo Federal, e começar a gastar esse dinheiro naquilo para qual ele deve ser destinado: o combate ao novo coronavírus.

Parece até que a prefeita pensa que esse dinheiro é dela. Só pode ser. Já que os mossoroenses estão adoecendo em centenas e morrendo em dezenas e os recursos estão lá parados, como se Mossoró não tivesse precisando de medidas urgentes para impedir, pelo menos, que os óbitos por covid-19 no município não passem a ser contados também em centenas.

Vamos lá, Rosalba. Bote a máscara e arregaça as mangas. Saia deste triste caminho de omissão, que trouxe Mossoró a situação em que se encontra. Enfrente a pandemia de verdade, pois até agora o que temos é um verdadeiro faz de conta. Abra os leitos, aumente a fiscalização e as testagens, dê alimentos ao povo, seja a líder que o momento exige.

Fazendo isso, Rosalba trilhará uma estrada que culminará com o reconhecimento do povo. Do contrário, ela continuará carregando nas costas a responsabilidade pelas mortes e pessoas que adoeceram, se não toda, mas grande parte dela. E ficará conhecida como a prefeita que poderia enfrentar a pandemia com a força que ela exige, mas preferiu ficar esperando que outros resolvessem esse grave problema que antes de qualquer um, é responsabilidade dela. Ela é a prefeita.

Postado em 4 de junho de 2020