Mossoró/RN, 21 de Abril de 2021

Mesmo com respiradores, Mossoró não ganha novos leitos de UTI para covid-19 e mantém taxa de ocupação distante da indicada para retomada da economia

Mesmo com respiradores disponíveis, Mossoró não ganhou novos leitos de UTI para covid-19 nas últimas semanas e se mantém com alta taxa de ocupação.

De acordo com dados do sistema de regulação do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 em Mossoró está em 94,44% nesta manhã de segunda-feira (13), bem acima do percentual indicado pelos especialistas para retomada das atividades econômicas: até 70%.

Atualmente, são 54 leitos de UTI para covid-19 em operação em Mossoró, sendo que 51 estão ocupados e 3 estão disponíveis, além de 1 leito bloqueado há quase 3 semanas no Hospital São Luiz.

A alternativa mais urgente para reduzir a taxa de ocupação e garantir a retomada da economia com mais segurança seria a abertura de novos leitos de UTI. Mas não é o que está acontecendo, mesmo com respiradores à diposição.

No dia 02 de junho, a Prefeitura de Mossoró anunciou o recebimento de mais 10 respiradores, sendo 5 de UTI. Na oportunidade, a Prefeitura divulgou que “com isso, novos leitos de UTI podem ser abertos na cidade dando mais assistência aos mossoroenses e pessoas de outras cidades que precisam durante esse período de pandemia do novo coronavírus.” Não foi o que aconteceu.

A instalação dos últimos cinco leitos de UTI para covid-19 para Mossoró ocorreu no dia 23 de junho. Logo depois, 6 leitos ficaram bloqueados por cerca de duas semanas no Hospital São Luiz.

A prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, ignorou a taxa de ocupação dos leitos de UTI para covid-19 próxima ou em 100% para autorizar as duas primeiras etapas da retomada das atividades econômicas. A tendência é que a próxima etapa seja mantida para esta quarta-feira (15), com ou sem leito de UTI.

Postado em 13 de julho de 2020