Mossoró/RN, 19 de Abril de 2021

Gilberto Martins desiste de candidatura e indica esposa para ser candidata

O ex-prefeito de Governador Dix-Sept Rosado, Gilberto Martins (Republicanos), confirmou ao PORTAL DO OESTE na manhã desta segunda-feira, 26, que desistiu da candidatura a prefeito do município. Ele é alvo de dois pedidos de impugnação apresentados pelo Ministério Público Eleitoral e pela coligação “Unidos Venceremos”, do atual prefeito Antônio Bolota (MDB).

“Eu desisti de recorrer. Foi indeferido em primeiro grau, mas ainda cabia recurso. Só que o advogado disse que é arriscado. Eu posso ganhar uma eleição e depois ser afastado e não adianta a gente correr esse risco”, informou a reportagem.

Martins informou ainda que sua esposa Aisa Martins é quem vai disputar o pleito no dia 15 de novembro. Disse ainda que sempre vou claro com a população da cidade se houvesse algum problema com seu registro, ela seria a indicada para concorrer a prefeitura local.

 “Então, como eu vinha anunciado para o povo o tempo todo que a Aisa ia me substituir, ela vai me substituir. Eu sempre fui muito claro com a população que havia risco na minha candidatura e que se houvesse qualquer problema a Aísa ia me substituir. Estou fazendo conforme eu disse.

O Ministério Público Eleitoral (MPE), por intermédio da Promotora Eleitoral com atuação junto à 49ª Zona Eleitoral, propôs uma ação de impugnação de registro de candidatura de Antônio Gilberto Martins da Costa a Prefeito do município de Governador Dix-Sept Rosado/RN, pelo Partido Republicanos.

De acordo com o MPE, o, agora, ex-candidato teve no exercício do mandato de Prefeito Municipal relativas ao Convênio 1.021/2000, para construção de galerias de águas pluviais– julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Ainda segundo o órgão, Antonio Gilberto também possui condenação transitada em julgado, pelo TCE/RN, nos autos do Processo nº 004913/1997, nos termos do art. 78, incisos II e IV, § 3º, alínea “a”, da Lei Complementar nº 121/94, face a constatação de valores percebidos a maior, com a condenação dos responsáveis, Presidentes da Câmara Municipal à época e ordenadores da despesa, Srs. Antônio Gilberto Martins da Costa (1993/1994) e Ismar Pio de Morais (1995/1996), a restituir aos cofres públicos os valores, respectivamente, de R$ 3.775,59 (três mil setecentos e setenta e cinco reais e cinqüenta e nove centavos) e R$ 26.084,72 (vinte e seis mil, oitenta e quatro reais e setenta e dois reais).

Postado em 26 de outubro de 2020