Mossoró/RN, 14 de Abril de 2021

‘Caso Gabriel’: testemunhas de defesa e acusação ouvidas nesta terça-feira (09)

A 1ª Vara Criminal de Parnamirim deu continuidade, na manhã desta terça-feira, 9, às audiências de instrução – que são etapas iniciais do processo – do chamado “Caso Gabriel”, jovem de 18 anos, visto pela última vez em 5 de junho de 2020 e cujo corpo foi encontrado, após nove dias de desaparecimento, em São José de Mipibu. De acordo com a unidade judicial, serão ouvidas quatro testemunhas de acusação e 20 de defesa arroladas pelo Ministério Público e pelos advogados dos acusados. São quatro policiais militares suspeitos de envolvimento na morte de Giovanne Gabriel de Souza Gomes, que teria saído do bairro Guarapes, zona Oeste de Natal, para visitar a namorada.

Em coletiva de imprensa, à época do fato, a Polícia Civil informou que o jovem foi morto porque teria sido confundido com um assaltante, que teria, no dia do desaparecimento, realizado o roubo de um carro encontrado posteriormente nas imediações de Emaús. De acordo com a Polícia Civil, após o roubo, Gabriel foi abordado por policiais militares do 3º Batalhão e liberado e, em seguida, ainda segundo as investigações iniciais, o jovem foi abordado por policiais do 8º Batalhão como suspeito de ser o ladrão do veículo.

De acordo com informações colhidas junto à 1ª Vara, a audiência por videoconferência, que, além das testemunhas, ouve alguns dos PM’s suspeitos, tem a participação dos advogados dos pais da vítima e dos acusados, e deve prosseguir durante todo o dia de hoje. A promotora Fernanda Lacerda Arenhart também participou das audiências e ouviu, por exemplo, um PM, não envolvido no caso e que respondeu à questões da acusação e da defesa sobre a conduta dos suspeitos de envolvimento. Dentre os acusados, na Ação Penal de Competência do Júri nº 0101672-40.2020.8.20.0124, estão os PM’s Paullinelle Sidney Campos Silva, Bertoni Vieira Alves, Valdemi Almeida de Andrade e Anderson Adjan Barbosa de Souza.

O caso

Segundo o inquérito inicial, Gabriel deixou a casa onde vivia com a mãe, a irmã e o padrasto, no bairro Guarapes, na manhã do dia 5 de junho de 2020 para ir de bicicleta à casa da namorada em Parnamirim, na Grande Natal. Ele fazia o trajeto em cerca de uma hora, mas sumiu antes de chegar ao destino. A namorada de Gabriel ligou preocupada para a mãe dele. Desde então o jovem não foi mais visto.

Familiares e amigos iniciaram a busca por Gabriel e chegaram a encontrar suas sandálias e a bicicleta em uma área de vegetação em Parnamirim. O corpo foi encontrado no dia 14 de junho com perfurações no crânio, provavelmente provocadas por arma de fogo, e com braceletes de plástico presos nos pulsos, de acordo com a perícia inicial do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep).

Postado em 9 de fevereiro de 2021