Mossoró/RN, 19 de Abril de 2021

Apenas serviços essenciais funcionarão no RN de 20 de março a 03 de abril; veja atividades consideradas essenciais por Comitê

Dado o grave cenário da pandemia do novo coronavírus no estado, o Governo do RN decidiu acatar, após diálogo com os municípios, a orientação dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, com base nas recomendações do Comitê Científico local.

Desta forma, entre os dias 20 de março e 03 de abril, apenas serviços essenciais poderão funcionar, medida que visa diminuir a transmissibilidade do vírus em todo o estado.

O anúncio foi feito há pouco pela governador Fátima Bezerra. O Governo ainda não divulgou quais são os serviços essenciais com autorização para continuarem em funcionamento.

De acordo com a recomendação do comitê científico, poderão funcionar durante este período as seguintes atividades consideradas essenciais:

  • Oficinas de veículos automotores, máquinas e equipamentos agrícolas;
  • Locadoras de máquinas e equipamentos agrícolas;
  • Lojas de suprimentos agrícolas;
  • Podólogos;
  • Serviços de saúde;
  • Serviços de segurança privada;
  • Supermercados; Mercados; Hipermercados; Quitandas; Açougues; Peixarias; Padarias;
  • Distribuições de alimentos;
  • Serviços de Delivery;
  • Loja de autopeças;
  • Postos de combustíveis;
  • Farmácias, drogarias e similares;
  • Lojas de artigos médicos e ortopédicos;
  • Hotéis, flats, pousadas e acomodações similares;
  • Lojas de material de construção;
  • Locadoras de máquinas e equipamentos para construção;
  • Petshops, hospitais/clínicas de veterinária;
  • Locadoras de máquinas, equipamentos e bens tangíveis;
  • Atividades de agências de emprego;
  • Atividades de agências de trabalho temporário;
  • Lojas de reparos de computadores e bens pessoais e domésticos;
  • Lavanderias;
  • Serviços funerários;
  • Atividades financeiras e de seguros;
  • Imobiliária com serviços de vendas e/ou locação imóveis;
  • Transportes Públicos coletivos ou não (ônibus, trens, táxis, transportes por aplicativos e outros);
  • Correios e serviços de entregas;
  • Transportadoras;
  • Imprensa.

Confira as recomendações do Comitê:

Postado em 17 de março de 2021