Mossoró/RN, 19 de Outubro de 2021

Obra do Hospital da Mulher precisa de adequação para ganhar celeridade

Andando a passos de tartaruga e com o seu cronograma de execução bastante atrasado, a obra do Hospital Regional da Mulher, em Mossoró, ainda vai precisar de tempo para ganhar celeridade.

O secretário de Gestão de Projetos e Metas do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Fernando Mineiro, informou ao PORTAL DO OESTE que o projeto de engenharia da obra tem um erro que já deveria ter sido adequado. Segundo ele, em dois ou três meses o projeto se ajusta. “Esse processo está se arrastando desde o ano passado. Estou tomando todas as medidas pra destravar”, assegurou Mineiro.

O atraso no andamento dos serviços é gigantesco. A obra já deveria estar 60% executada ao final do ano passado, mas só chegou a 20%, segundo o secretário.

O Hospital da Mulher foi tema de audiência pública realizada em Mossoró na última sexta-feira (24). De propositura da deputada estadual Isolda Dantas, o objetivo da audiência foi discutir como será o funcionamento do complexo para atender a demanda da população da região.

A unidade hospitalar irá atender cerca de 20 mil pessoas por ano dos 62 municípios da região Oeste. Serão ofertados leitos de observação do pronto-socorro, de internação e de suporte para mulheres vítimas de violência, além de leitos de unidade de terapia intensiva e cuidados intermediários e unidades funcionais para Centro Obstétrico, com Salas de Parto Humanizado e Salas Cirúrgicas de Obstetrícia, Cirurgias Eletivas, Banco de Leite Humano, Casa da Gestante e o Centro de Parto Normal.

O hospital funcionará ainda como campo de estágio, em parceria com a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), para áreas de saúde e afins. Os investimentos somam mais de R$ 100 milhões, em obras e equipamentos, por meio do acordo de empréstimo com o Banco Mundial. A audiência pública aconteceu na Câmara Municipal de Mossoró.

Postado em 26 de maio de 2019