Mossoró/RN, 21 de Setembro de 2021

Intervenção do Baraúnas recebe, mas não contabiliza patrocínio de R$ 100 mil da PMM

Cheque do pagamento efetuado ao Baraúnas em agosto do ano passado

Fora dos campos desde o ano passado, o Baraúnas agora virou notícia por uma polêmica envolvendo o pagamento de um patrocínio da Prefeitura de Mossoró. O pagamento de R$ 100 mil foi feito em agosto do ano passado, mas o interventor à época e atual presidente do clube, Nícolo Damásio de Melo Medeiros, não fez a sua contabilidade no balancete do mês.

De acordo com cópias do cheque e do recibo que circulam no WhatsApp, o pagamento foi feito no dia 22 de agosto de 2018 ao então interventor do Baraúna, Damásio Medeiros. O recibo, no valor bruto de R$ 100 mil, é assinado por Damásio, e o cheque, no valor de R$ líquido de R$ 94.997,54, repassado pela agência Insight Comunicação e Marketing LTDA.

No entanto, no balancete do mês de agosto de 2018 do Baraúnas, que o PORTAL DO OESTE teve acesso, não consta a entrada desses recursos. O balancete é referente ao período de 1 a 31 de agosto de 2018 e assinado pela contadora Thenanffar Wilma Antônia de Souza.

Procurado pelo PORTAL DO OESTE, Damásio não explicou o motivo de o pagamento da Prefeitura de Mossoró não ter sido contabilizado.

Questionado sobre o destino desses recursos, Damásio respondeu que as finanças do clube são de conhecimento dos associados. “As nossas prestação de contas são quinzenais todos, os associados sabem o destino dos recursos”, reforçou.

Recibo assinado por Damásio atestando o pagamento

O PORTAL DO OESTE insistiu para que ele informasse a aplicação dos quase R$ 100 mil, mas não teve resposta. “Os destinos das finanças de qualquer clube ou instituição são de conhecimento restrito dos associados e diretores, eles sabem!”, argumentou Damásio.

O PORTAL DO OESTE insistiu mais uma vez: mesmo se tratando de recursos públicos? “Não recebemos dinheiro da PMM e sim da Zumba”, justificou o presidente.

Balancete de agosto não consta entrada do patrocínio

O PORTAL DO OESTE falou com um dos atuais sócios do Baraúnas (são cerca de 40, apenas) e ele disse não saber nada sobre a prestação de contas do patrocínio da Prefeitura de Mossoró. “O que eu sei é que estavam tentando marcar uma reunião com a prefeita, mas até onde eu saiba ainda não tinha sido atendido”, declarou o sócio, que não vamos identificar.

Ex-dirigentes do Baraúnas ouvidos pelo PORTAL DO OESTE informaram que Damásio negava o recebimento do patrocínio, mesmo após a execução do pagamento pela Prefeitura de Mossoró, conforme comprova as cópias do recibo e do cheque.

Postado em 2 de junho de 2019