Mossoró/RN, 01 de Agosto de 2021

Opióides: além das drogas proibidas

Há uma epidemia no uso em massa de opióides no mundo inteiro, principalmente nas grandes nações do Ocidente, Brasil incluído.
Neste momento você está pensando em maconha, cocaína, crack, etc. Não são esses os campeões. Os líderes estão nas prateleiras de farmácias e são “controlados” por receitas médicas. Chamamos aqui de “remédios tarja preta”. São potentemente viciantes, dependentes e, no prazo utilizados, levam a morte de variadas formas, debilitam os indivíduos em seu dia a dia e atividades, vida sexual e familiar.

Seu controle beira o ridículo, já praticamente qualquer clínico geral pode receitar. Pior: existem farmácias e drogarias aos milhares que os vendem sem receita. Os nomes de fantasia são muitos, do Rivotril ao Valium. Os usos também (e não contesto o mesmo e sua aplicação em doenças graves, como a depressão ou a esquizofrenia). Mas, são uma praga não discutida e silenciada em nossa hipócrita sociedade. Aqui faltam psicólogos e terapeutas. Sobram remédios e viciados.

Não vou tocar no assunto da sociabilidade etílica e do alcoolismo. Deixemos essas outras drogas legais para depois.

Mascaramos na “guerra às drogas” aquilo que nossa sociedade escolhe punir. O que a indústria farmacêutica impõe, largamos aos milhões e bilhões, sem importar com dados, estatísticas, realidade e ciência. Na verdade, esses são dados que nem ousamos trazer à baila.

Em nossa sociedade, o drogado mora na favela ou ao lado, nunca é “conosco”. Vale a pena o debate.

Postado em 10 de junho de 2019