Mossoró/RN, 10 de Maio de 2021

Ozaniel diz que emendas derrubadas beneficiariam população na saúde

A Câmara Municipal de Mossoró aprovou esta semana, durante sessão realizada na terça-feira, 25, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020, que fornece bases para a produção da Lei Orçamentária Anual (Orçamento Geral do Município), no final do ano. Na votação, várias emendas ao projeto original enviado a casa pelo poder executivo foram discutidas, aprovadas ou rejeitadas.

Entre o material vetado pela maioria dos parlamentares estavam algumas emendas apresentadas pelo vereador Ozaniel Mesquita (PL). Segundo ele, ao todo eram 16 emendas das quais apenas 02 passaram na comissão de orçamento, porém foram derrubadas em plenário. “Nossas emendas proporcionariam benefícios no setor da saúde, infelizmente não foram aceitas e, mesmo assim, nós vamos continuar fazendo nossa parte”, explicou.

Para exemplificar, o vereador citou a emenda que sugeria ao município criar o setor de Prevenção de Doenças Crônicas, entre as quais a diabetes. Outra proposta do vereador seria a implantação do atendimento nutricional nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). O vereador também sugeriu, e foi rejeitada, a implantação de equipamentos de Raio-X nas Unidades de Pronto Atendimentos (UPA) entendendo que esta medida iria desafogar o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) além de instalar salas de estabilização de pacientes (entubar) na UPA, o que levaria alívio a pacientes e seus familiares enquanto aguardam vaga na UTI.

Postado em 26 de junho de 2019