Mossoró/RN, 26 de Julho de 2021

Cia. Pão Doce se apresenta no Teatro Lauro Monte com “O Torto Andar do Outro”

Com o seu novo trabalho a Cia. Pão Doce leva para a cena um ato político. “Precisamos falar sobre respeito”; esta foi premissa para a criação de um espetáculo que discutisse a pluralidade humana, proposta motivada por diálogos entre o grupo e o mestre cordelista, Antônio Francisco, mossoroense que ocupa hoje a cadeira de Patativa do Assaré na ABLC (Academia Brasileira de Literatura de Cordel), que revelou aos artistas o seu desejo de ver transformado em espetáculo teatral o seu cordel “Um Conto bem Contado”, texto, que apesar de ambientado em séculos passados, reflete em seus versos os problemas do mundo atual.

No elenco Lígia Kiss, Mônica Danuta, Romero Oliveira e Raull Davyson contam a história de uma cidade onde os habitantes andavam de lado, feito caranguejo, quando surge a notícia que há uma criança que anda para frente, e dá-se início a uma terrível caçada.

O espetáculo acontecerá dentro do projeto “Pauta Livre”, realizado pelo Governo do Estado e Fundação José Augusto, no Teatro Lauro Monte Filho, e disponibiliza através de seleção por edital, pauta para grupos do Rio Grande do Norte, com ingressos vendidos a preço popular. Nos dias 8 e 9 de Agosto, às 19:30h a Cia. Pão Doce retorna a Mossoró com o espetáculo “O Torto Andar do Outro”.

Montado com recursos do Prêmio de Incentivo a Cultura Maurício de Oliveira 2016, “O Torto Andar do Outro” é um espetáculo para palco e espaços alternativos. Esta, assim como outras obras de Antônio, leva o espectador ao inesperado, é atemporal, instigante, e transcende as religiões, costumes e épocas. Nos faz refletir sobre nossas marginalizações, a corrupção, o preconceito, a violência, a xenofobia e nos faz sonhar com um mundo onde prevaleça o respeito.

Para o grupo, interpretar um poema de Antônio, é conviver com o que há de mais legítimo e sensível na poesia popular nordestina, é constatar a sutileza com a qual o poeta metaforiza cada verso, com doses de amor e pitadas de crítica que proporcionam mais brilho nas comparações feitas do imaginário ao real. Este espetáculo, tem direção compartilhada entre o grupo e Marcos Leonardo, e música de Romero Oliveira.

Postado em 30 de julho de 2019