Mossoró/RN, 24 de Junho de 2021

A Bandeira do Meu Brasil

A bandeira do meu Brasil é verde, amarela, azul e branca. São, basicamente, também as cores da Casa Real de Bragança, aquela que nos tornou independente de Portugal em 1822, com o apoio de nossas elites. Já mudou de aspecto, mas é basicamente a mesma criada naquele momento histórico, com a diferença do globo celeste e da faixa positivista.

Não importa para mim se não são “as riquezas de nossas matas ou nossos minerais”, como aprendemos erradamente na infância.

Importa que senti a força desse símbolo pela primeira vez naquele dia em que a vi, pela TV, sob o caixão de Tancredo Neves num carro de bombeiros. Tinha então quase nove anos e chorei com todo o meu povo o sonho da democracia que ressurgia.

Não foi torcendo por seleção alguma ou sentindo a força da “pátria de chuteiras”. Foi sentindo meu povo chorar pelo futuro. Foi lindo e ainda é lindo quando isso acontece.

Portanto, não confunda a minha bandeira com a bandeira que tiram do armário para tiver por um selecionado privado de futebol. Pois a minha bandeira é o gládio simbólico da luta de um povo por existir com dignidade. De cada irmão desse solo ingrato que sofre com fome, pobreza, preconceito ou exclusão. Mas é NOSSA. Nenhuma empresa privada ou partido político tem o direito de se apropriar dela e fazê-la instrumento de sua perfídia.

Nossa bandeira é a bandeira do Brasil porque aqui nascemos e aqui iremos ao sepulcro. Aqui vieram nossos ascendentes da Europa já no século XVI. Aqui estavam nossos ascendentes tupis e tapuias tarairus. Aqui também vieram nossos ascendentes da Mãe África, para serem moídos na dor da escravidão.

Essa bandeira é nossa porque ela não é símbolo de “pátria” ou de “ufanismo” populista e preconceituoso, militarista e violento. Ela é nosso maior exemplo de que uma civilização foi gestada nos trópicos a partir de misturas, dor e muito sangue. E exemplifica que essa civilização pode superar a barbárie e se tornar uma terra de todos, por todos e para todos.
Minha bandeira, eu hoje te resgato das mãos dos extremistas de todas as matizes. Te trago pendurada em meu escritório, para lembrar que é símbolo de meu país amado. E este é meu país amado porque é q terra de meu povo nada mais.

Minha bandeira, hoje chorarei e usarei teu pano para secar as lágrimas de dor que o Brasil ingrato faz seus filhos derramar.

Mas um dia bandeira querida, estarás sob meus ombros ou sob minha esquife, mas serás minha com orgulho. E novamente hei de sorrir com meu Brasil.

Postado em 11 de setembro de 2019