Mossoró/RN, 31 de Maro de 2023

No jogo de empurra-empurra entre Prefeitura e Governo, só quem sofre é o povo

POR BLOG DO MAGNOS

Novas mortes cujas vítimas não tiveram o devido atendimento no sofrível sistema de saúde pública de Mossoró fizeram a Prefeitura de Mossoró e o Governo do Estado retomar o chamado jogo de empurra-empurra.

A Prefeitura, através do exército do rosalbismo nas redes sociais, tratou logo de culpar a governadora Fátima Bezerra pelas mortes. O Governo, em resposta, soltou nota em que culpa a falta de estrutura das Unidades de Pronto Atendimento para realizar os procedimentos iniciais dos pacientes antes do encaminhamento para o Hospital Tarcísio Maia.

Alguém está com a razão? Claro que não. Prefeitura e Governo são culpados. E nesse jogo de empurra-empurra só quem sofre é o povo. Ao mesmo tempo em que muitos se aproveitam do sofrimento alheio para fazer politicagem da mais barata possível.

Os únicos inocentes nessa triste história são as vítimas e seus familiares, que realmente não conseguem o atendimento de saúde adequado, por culpa da Prefeitura, leia-se prefeita Rosalba Ciarlini, e do Governo, diga-se Fátima Bezerra.

Os problemas na saúde pública de Mossoró estão aí latentes, sendo contados todos os dias pelo povo. Falta até o remédio mais básico. O Hospital Tarcísio Maia continua o mesmo de sempre, de décadas e mais décadas. Fátima não operou nenhum milagre para deixá-lo diferente. Na verdade, assim como em gestões anteriores, o Tarcísio Maia ainda vive de promessas. Uma delas de abertura de novos leitos, que se arrasta há tantos anos que até perdi a conta.

O rosalbismo, que hoje se aproveita do sofrimento de famílias inteiras para acirrar o jogo político, é o mesmo que esteve por quatro anos no Governo e nada fez pelo Hospital Tarcísio Maia.

E se politicagem continuar se sobressaindo sobre as discussões para resolver os problemas que realmente existem e que matam pessoas, Fátima também passará seus quatro sem nada fazer.

É preciso que as pessoas que realmente se preocupam com o estado em que a nossa saúde pública se encontra fiquem bem acima daquelas que buscam apenas explorar esses graves problemas com fins politiqueiros. Do contrário, a lista de vítimas não deixará de crescer.

Postado em 27 de janeiro de 2020