Mossoró/RN, 19 de Junho de 2021

Brasil deve registar quase 123 mil casos de câncer colorretal nos próximos três anos

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados no Brasil 40.990 novos casos de câncer colorretal (20.520 em homens e 20.470 em mulheres). Esses valores correspondem a um risco estimado de 19,63 casos novos a cada 100 mil homens e 19,63 para cada 100 mil mulheres. É o terceiro tipo mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres.

O câncer colorretal pode não apresentar qualquer manifestação clínica, mas, se ocorrer, pode causar um ou mais dos seguintes sintomas: diarreia, sangue nas fezes, dor abdominal, cansaço e fadiga, além de perda de peso sem motivo específico.

O mês de março é marcado pela luta contra esta enfermidade, recebendo a cor azul marinho. O rastreamento regular pode, muitas vezes, diagnosticar o câncer colorretal de forma precoce, quando é mais provável sua cura. Os sintomas mais frequentes são sangue nas fezes, diarreia e prisão de ventre, dor ou desconforto abdominal, fraqueza e anemia e perda de peso sem causa aparente.

“Esse tipo de câncer é bastante comum e por isso é importante que a população esteja atenta aos sintomas. Neste mês de março a oncologia se volta para ao combate e a prevenção ao câncer colorretal. A detecção precoce do câncer é uma estratégia utilizada para encontrar um tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento”, destacou o oncologista, Dr. Valdemir Ferreira.

Esse tipo de câncer é tratável e na maioria das vezes curável. “O tratamento depende principalmente do tamanho, localização e extensão do tumor. Quando o tratamento é procurado tardiamente, a doença está espalhada, com metástases e as chances de cura são menores” concluiu, Dr. Valdemir.

Postado em 3 de março de 2020