Mossoró/RN, 18 de Maio de 2022

Sérgio Moro deixa governo Bolsonaro após exoneração de diretor geral da PF

O ex-juiz federal Sérgio Moro anunciou há pouco, em entrevista coletiva, o seu pedido de exoneração do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A decisão foi tomada após o presidente da República, Jair Bolsonaro, exonerar o diretor geral da Polícia Federal (PF) Maurício Valeixo. A demissão foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (24) e é assinada por Bolsonaro e Moro, que negou que tenha assinado o documento.

Moro justificou que Bolsonaro havia lhe prometido carta branca e que Valeixo foi a sua única indicação na PF. “Primeiro houve uma violação ao que ele tinha me prometido; segundo que não havia uma razão para a mudança; e terceiro que haveria uma interferência na Polícia Federal.”, criticou.

O agora ex-ministro relatou que Bolsonaro passou a insistir na troca do diretor geral da PF e que ele havia declarado ao presidente que não teria problema em fazer a mudança, “desde que houvesse uma razão”.

Moro falou ainda que cedeu ao desejo de troca do presidente, mas que fosse por uma pessoa técnica que desse continuidade ao trabalho. No entanto, ele não teve retorno de Bolsonaro. “O presidente insistiu que queria uma pessoa dele, que ele pudesse colher informações, e esse não é o papel da Polícia Federal.”, reforçou.

Postado em 24 de abril de 2020