Mossoró/RN, 15 de Maio de 2021

Portuguesa volta a vencer o Marília e conquista título inédito

Após anotar 2 a 1 na partida de ida, no Abreuzão, em Marília, na tarde do último domingo (20), a Portuguesa recebeu o Marília, no Canindé, em São Paulo, na noite desta quarta-feira (23), venceu, por 3 a 1, e conquistou o título inédito da Copa Paulista.

Com a ida à decisão a dupla garantiu calendário nacional na próxima temporada. Os rubro-verdes já divulgaram que vão disputar o Campeonato Brasileiro da Série D de 2021, enquanto os alvicelestes, consequentemente, vão para a Copa do Brasil de 2021.

No ano que vem, os paulistanos ainda tentarão o acesso no Paulistão A2. Os interioranos, por outro lado, jogarão o Paulistão A3. Além disso, os donos da casa garantiram R$ 250 mil em premiação da Federação Paulista de Futebol (FPF); os visitantes ficaram com R$ 150 mil.

Galeria de troféus
Com a taça inédita da Copa Paulista, a Portuguesa coloca mais um troféu na estante, que conta com Campeonato Paulista de 1935, 1936 e 1973, Torneio Rio-São Paulo de 1952 e 1955, Série B do Campeonato Brasileiro de 2011 e Campeonato Paulista da Série A2 de 2007 e 2013.

O Marília, por outro lado, segue com dois títulos na galeria – Campeonato Paulista da Série A2 de 1971 e 2002. Curiosamente, em 2019, os interioranos foram vice-campeões do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, ocasião em que perderam a decisão para o Paulista.

Últimas participações nacionais
A Portuguesa não disputa uma competição nacional desde 2017, quando foi eliminada na segunda fase da Copa do Brasil e na primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série D. O Marília jamais participou da Copa do Brasil e está afastado desde 2013, quando caiu na primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série D.

Primeiro tempo
Mesmo com a vantagem construída na partida de ida, a Portuguesa começou a finalíssima controlando as ações, tanto que, antes dos 20 minutos, Maykinho exigiu duas boas defesas de Igor Castro e Diogo Calixto quase marcou após desviar finalização de Caíque.

De tanto pressionar, os donos da casa abriram o placar. Aos 37, Adilson Bahia converteu penalidade máxima cometida por Geninho, que derrubou Raphael Luz dentro da área após lançamento em profundidade. Maykinho, aos 43, ficou perto de ampliar.

Segundo tempo
Desesperado para virar, o Marília voltou do intervalo com o atacante Lucas Lino entrando na vaga do zagueiro Arthur Gaúcho. Entretanto, foi a Portuguesa que levou perigo e acertou a trave duas vezes – com Diego Jussani, aos cinco minutos, e Adilson Bahia, aos oito.

Já aos 13, Geovani fez ótima jogada individual, puxando da esquerda para a direita, limpou dois marcadores e bateu no cantinho direito. Léo Couto, aos 14, respondeu, acertando um balaço na gaveta superior esquerda e marcou o gol maqueano.

Léo Couto ainda ficou perto de empatar, mas o goleiro Dheimison fez linda defesa e impediu a igualdade, aos 17. Pouco depois, Rapahel Luz encaminhou o título rubro-verde ao dividir com Igor Castro após jogada paulistana pela esquerda e cutucar para dentro. 

O Marília ainda marcou o segundo gol com ótima cabeçada de Diogo Calixto, aos 37. Caíque, aos 43, carimbou o travessão, a terceira bola lusitana que pegou no poste na etapa complementar.

FICHA TÉCNICAPORTUGUESA 3 X 2 MARÍLIA
(Ida: Marília 1 x 2 Portuguesa)

Data: 23/12/2020.
Horário: 19h.
Local: Estádio do Canindé, em São Paulo (SP).
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho.
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Amanda Pinto Matias.

Portuguesa: Dheimison; Jefferson Feijão, Diego Jussani, Willian Magrão e Vinícius Silva; Caíque, Walfrido (Fabrício) e Raphael Luz (Raphael Toledo); Geovani (Joãozinho), Adilson Bahia e Maykinho (Lucas Douglas).
Técnico: Genilson França e Fábio Toth (auxiliares).

Marília: Igor Castro; Denis Leite (Bruno Oliveira), Geninho, Arthur Gaúcho (Lucas Lino) e Diogo Calixto; Felipe Cordeiro (Dionathan), Júnior Santos e Léo Couto (Eric Di Maria); Luan Gama, Orlando Júnior e Gustavo Nescau.
Técnico: Guilherme Alves.

Gols: Adilson Bahia (37′ 1T), Geovani (13′ 2T), Léo Couto (14′ 2T), Raphael Luz (20′ 2T) e Diogo Calixto (37′ 2T).

Cartões amarelos: Joãozinho, Geovani e Maykinho (Portuguesa); Bruno Oliveira, Léo Couto, Arthur Gaúcho e Júnior Santos (Marília).

Postado em 23 de dezembro de 2020