Mossoró/RN, 17 de Maio de 2021

Natalenses e mossoroenses devem gastar menos de R$ 100 com chocolates e dois terços devem comprar pescados na Semana Santa

Feriado religioso no qual é lembrada a crucificação e comemorada a ressureição de Cristo, a Semana Santa também é marcada pelo costume de presentear com ovos de chocolate e pelo consumo de pescado. Diante disso, o Departamento de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DEES) da Fecomércio RN realizou a pesquisa de Intenções de Compras para a Páscoa 2021 em Natal e em Mossoró. Os questionários foram aplicados entre os dias 3 e 12 março e em Natal foram ouvidas 607 pessoas; em Mossoró, foram ouvidas 505 pessoas. 

Em Natal, o DEES constatou que as pessoas que devem ir às compras são minoria (39,2%, índice 19,1 pontos percentuais menor do que o registrado em 2020, quando 58,3% pretendiam comprar). As duas principais justificativas apresentadas pelos 60,8% dos entrevistados que não irão comprar, estão a falta dinheiro (49,6%) e a pandemia (45,5%). 

Entre os que irão presentear, 92,4% citam os chocolates. Brinquedos (6,7%), roupas (3,4%) e alimentos ou bebidas (2,1%) também aparecem entre as opções. Os principais presenteados devem ser os filhos (56,3%); seguidos do companheiro (a) (26,5%); para pai/mãe (18,9%); sobrinhos (15,1%); entre outros. Na hora de escolher o presente, serão consideradas principalmente as ofertas e as promoções (61,9%); a marca do produto (23%) e a localização do estabelecimento (4,2%). 

Em relação ao gasto médio, o valor deste ano (R$ 92,15) deve ser 6,7% menor do que o gasto em 2020 (R$ 98,75). Este valor aumenta para R$ 130,26 entre os que possuem rendimentos familiares acima de 10 salários mínimos, e diminui para R$ 78,95 entre aqueles com renda mensal abaixo de 2 salários mínimos). 

Sobre a forma de pagamento, a maioria dos consumidores nataleneses que farão compras nesta Páscoa pretendem pagar à vista (65,1%), sobretudo em dinheiro (52,1%) e no cartão de débito (13%). Outros 34% querem usar o crédito para pagar as compras, principalmente na modalidade parcelada (23,5%). A pesquisa identificou que as compras com cartão de crédito devem aumentar 4,3 pontos percentuais em relação ao ano passado, assim como as com cartão de débito, que devem crescer 7,5 pontos percentuais. O pagamento em dinheiro, que em 2020 representava 63,2%, pode cair para 52,1%. 

Diante de uma situação de incertezas e dificuldades financeiras, 68,2% dos consumidores pretendem pesquisar preços antes de comprar seus presentes. As compras devem ser feitas nas lojas do comércio de rua (52,1%) e nos shoppings (29,8%); sob encomenda (9,2%) ou on-line (5,5%). Os fatores que mais influenciam na escolha do local de compra são o nível de preço (43,3%); a variedade de produtos (19,7%); a localização (12,2%); a qualidade dos produtos (10,5%) e o atendimento (5,5%). Sendo que 56,9% deles só pretendem comprar na semana que antecede a data. 

Por causa das recomendações das autoridades por causa da pandemia, a pesquisa mostra ainda que 94,7% dos consumidores revelaram que não pretendem viajar neste período, índice 12,5 pontos percentuais inferior ao assinalado na pesquisa do ano passado (82,2%). 53% das pessoas disseram que vão ficar em casa com pessoas que moram na mesma residência. Apenas 4% irão para a casa de parentes; 2% para a igreja; e 0,6% irão a outros lugares. 

Diante da tradição de não comer carne na Semana Santa, 66,6% dos entrevistados têm pretensões de comprar peixes e crustáceos especialmente para a data; o percentual é 9,1 pontos percentuais menor que o do ano passado, quando 75,7% colocaram os frutos do mar entre os itens a serem consumidos. Para estas compras, 80,9% dos consumidores pretendem gastar até R$ 80. 

Mossoró 

Na capital do Oeste, 57% não irão às compras nesta páscoa, contra os 58,4% computados em 2019 (a pesquisa não foi realizada em Mossoró em 2020, devido à pandemia). Entre os 43% que irão presentear, os filhos serão os principais beneficiados (56,2%), principalmente com chocolates (95,4%). Os fatores considerados mais importantes para a escolha dos produtos serão as ofertas e promoções (67,3%) e a marca do produto (19,4%). 

Com relação aos valores, os dados da pesquisa mostram que o tíquete médio dos consumidores mossoroenses vai ficar em R$ 89,40. Em 2019 o valor médio foi um pouco mais alto: R$ 88,70. O valor cai para R$ 74,64 nas famílias com renda de até dois salários mínimos e sobe para R$ 125 entre os que possuem rendimentos familiares acima de 10 salários mínimos. 

A forma de pagamento mais citada foi à vista em dinheiro (44,4%), e para tentar economizar, 61,3% dos entrevistados revelaram que pretendem pesquisar os valores dos produtos antes de comprar os presentes. A exemplo de Natal, o comércio de rua lidera com 58,5% das preferências dos consumidores mossoroenses, seguido das lojas do shopping (22,6%). 

A pesquisa da Fecomércio revela ainda que, entre aqueles consumidores que vão celebrar a data, a maioria (55,2%) vai comemorar em casa, com pessoas da mesma residência. Outros 6,1% irão para a casa de parentes; 1,4% para a casa de amigos; 0,6% para igreja; entre outros (1,2%). Com relação às viagens, 91,7% dos consumidores não irão sair da cidade durante o feriadão. Em 2019, 77,9% deles disseram que não tinham intenção de viajar. 

74,5% dos entrevistados têm intenção de consumir peixes e crustáceos durante a Semana Santa, sendo que 81,8% planejam gastar até R$ 80. Na pesquisa de 2019, 77,6% dos mossoroenses pretendiam sair da cidade. Confira a íntegra das pesquisas no link: https://fecomerciorn.com.br/pesquisas/

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Postado em 29 de março de 2021