Mossoró/RN, 20 de Setembro de 2021

O histórico descaso da Sesap com os prestadores de serviços SUS de Mossoró

POR MAGNOS ALVES

Entre governo e sai governo no Rio Grande do Norte e uma coisa não muda: o descaso da Secretaria de Estado da Saúde Público (Sesap) com os prestadores de serviços SUS de Mossoró.

Já trabalho com jornalismo há umas duas décadas. Tempo mais que suficiente para se sentir cansado em ter que frequentemente publicar matérias informando a suspensão de serviços públicos de saúde por falta de pagamento.

Não é uma coisa de hoje. Longe disso. E não é uma questão de prejudicar ou favorecer prestador A ou B. Parece que existe uma lei que determina que todo governo tem que castigar os hospitais de Mossoró. As dividas se avolumam ao longo do anos. Quem entra herda. Quem sai, deixa o montante maior.

Isso inclui maternidade, serviços oncológicos e cirurgias das mais diversas especialidades. Se a Sesap não paga, o usuário do SUS sofre com a falta dos procedimentos.

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) confirmou a paralisação dos serviços de quimioterapia e diagnóstico por imagem. O Hospital Wilson Rosado tem redução de 20% dos atendimentos eletivos programada para esta quarta-feira (15). São exames de cateterismo cardíaco, internamentos em leito clínico de UTI adulto e cirurgias eletivas (cardiologia, oncologia e neurocirurgia) que serão suspensos.

O descaso é tão grande que um acordo firmado há quase três anos para retomada de serviços que haviam sido suspensos, sequer foi assinado. Chegamos ao cúmulo, inclusive, de a gestão da prefeita Rosalba cobrar dívida do Estado, que Rosalba governadora não repassou.

E Sesap o que diz? Ainda aguardamos posicionamento

Postado em 14 de setembro de 2021