Mossoró/RN, 17 de Maio de 2022

Obra do Hospital da Mulher avançou menos de 15% em 9 meses; entrega antes das eleições é praticamente impossível

A construção do Hospital da Mulher Parteira Maria Correia, em Mossoró, está 42% executada e, segundo o Governo do Estado, será finalizada neste ano, embora pareça praticamente impossível.

Quando retomou a obra em abril do ano passado, o Governo do Estado informou que a obra tinha alcançado 27,87% de execução e que a previsão era de sua conclusão para junho deste ano, antes das eleições. O problema é que nos últimos noves meses, entre abril de 2021 e janeiro de 2022, a construção avançou menos de 15%. Faltando apenas cinco meses e meio para o fim de junho, ainda restam 52% de obra a executar.

Segundo o Governo do Estado, o bloco A, dedicado às enfermarias, tem o serviço mais adiantado, com revestimento, pisos e esquadrias já sendo instalados; em seguida, a prioridade é a finalização do bloco C, o cirúrgico.

O secretário de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do Projeto Governo Cidadão, Fernando Mineiro, vistoriou em Mossoró, nesta sexta-feira (14), o andamento da obra que será a maior unidade de saúde do Rio Grande do Norte, atendendo pacientes de mais de 60 municípios e com capacidade para 20 mil atendimentos por ano. 

A vistoria incluiu uma reunião com a reitora Cicília Maia, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), instituição parceira do hospital. O secretário e a reitora deram continuidade aos encontros ocorridos ao longo desta semana, quando equipes da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), UERN, Projeto Governo Cidadão, Gabinete Civil do Estado, Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Controladoria Geral do Estado discutiram com a governadora Fátima Bezerra o planejamento de implantação da unidade hospitalar que terá uma cogestão inicial entre Sesap e Uern.

Na reunião desta sexta-feira, a reitora confirmou a união de esforços com os entes estaduais na viabilização do hospital:  “Vamos desenvolver um modelo de gestão exclusivo, convocando entidades como a Ufersa, e isto será  fundamental nestes primeiros anos de funcionamento, para irmos avançando com o tempo”.

Ao todo, serão mais de 160 leitos focados na atenção materno-infantil, ginecológica e obstétrica de média e alta complexidade. O investimento total é de cerca de R$ 125 milhões – R$ 85 milhões para obras e R$ 40 milhões em equipamentos.

“Paralelamente à construção, estamos dando andamento à compra dos bens necessários e ao planejamento de implantação dessa unidade que vai mudar para melhor a saúde da mulher não somente da região Oeste, mas de todas as potiguares”, destacou Mineiro, lembrando que toda esta ação segue planejamento acordado com o Banco Mundial, órgão com o qual o Governo do RN mantém acordo de empréstimo com foco no desenvolvimento regional. “A governadora Fátima Bezerra também tem visitado regularmente a obra para que tudo esteja pronto no tempo previsto”, completou Mineiro. 

IMPLANTAÇÃO

O planejamento entre Sesap e UERN prevê que a gestão acadêmica fique a cargo da instituição de ensino, que também deverá colaborar com a parte administrativa, tornando o hospital um grande campus. Até fevereiro próximo, as equipes de gestão responsáveis fecharão o cronograma de implantação dos serviços ao longo de 2022 e 2023.

As licitações de equipamentos a serem comprados para o Hospital contam com consultas públicas com potenciais fornecedores de equipamentos médico-hospitalares para dar transparência e promover uma ampla concorrência entre empresas do ramo hospitalar. Todo o processo é amparado pelas Diretrizes de Aquisições do Banco Mundial e passam por análises das áreas técnica e jurídica do Projeto Governo Cidadão. A primeira consulta pública relativa ao Hospital foi realizada em junho de 2021. Atualmente, já foram adquiridos equipamentos de grande porte como aparelhos de Raio X e mamógrafo.

Postado em 15 de janeiro de 2022