Mossoró/RN, 16 de Maio de 2022

Ministério de Rogério Marinho perde quase R$ 460 bilhões após vetos de Bolsonaro; Trabalho e Educação são áreas mais afetadas

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou o projeto de Lei Orçamentária Anual deste ano (Lei 14.303/21).

Bolsonaro vetou as emendas de comissão, classificadas como RP8, que somam R$ 1,361 bilhão, e mais R$ 1,824 bilhão em despesas primárias discricionárias. Com isso, o valor total do veto chega a R$ 3,184 bilhão.

O ministério que mais perdeu recursos foi o do Trabalho e Previdência, com veto de R$ 1 bilhão. Em seguida vem o Ministério da Educação, com um cancelamento de R$ 736 milhões.

Pré-candidato ao senador, Rogério Marinho teve R$ 458,7 bilhões do Ministério do Desenvolvimento Regional vetados. Outros órgãos com grande volume de recursos vetados a Cidadania (R$ 284,3 milhões) e a Infraestrutura (R$ 177,8 milhões).

Os vetos ao projeto de lei orçamentária alcançam 138 programações diferentes. O programa que mais perdeu recursos foi a administração do Instituto Nacional do Seguro Social, com corte de R$ 709,8 milhões. O programa de Apoio ao desenvolvimento da educação básica perdeu R$ 324,7 milhões. Já o Serviço de Processamento de Dados de Benefícios Previdenciários teve corte de R$ 180,7 milhões.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Postado em 24 de janeiro de 2022