Mossoró/RN, 16 de Maio de 2022

Seca se mantém estável no RN entre dezembro e janeiro

Por Daniella Longuinho – Repórter da Rádio Nacional – Brasília

Dez estados brasileiros tiveram abrandamento da seca entre dezembro e janeiro. No Espírito Santo e Maranhão, o fenômeno deixou de ser registrado no último mês, mesma situação do Distrito Federal desde dezembro.

Por outro lado, segundo dados do Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, os três estados da região Sul tiveram uma intensificação da seca em janeiro, caso também do Mato Grosso do Sul.

Já em Alagoas, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Sergipe, a severidade do fenômeno se manteve estável para o período.

A superintendente adjunta da Operações e Eventos Críticos da ANA, Ana Paula Fioreze, explica que, nos últimos meses, em parte significativa do território brasileiro, choveu acima da média, o que ajudou a recuar o fenômeno da seca nesses estados.

Por região do país, a maior severidade identificada pelo Monitor de Secas em janeiro foi no Sudeste, com 6% de seca excepcional, índice recorde na escala do monitoramento.

O Centro- Oeste teve a segunda maior severidade de janeiro. No Sul, houve agravamento do quadro, em virtude do fenômeno La Niña, mas menor que as duas regiões anteriores. E o Nordeste foi a única região a não ter registro de seca extrema ou excepcional no mês passado.

Ana Paula Fioreze, superintendente da ANA, ressalta os impactos a longo prazo nos estados que estão enfrentando o fenômeno da seca neste que é um período chuvoso.

Até o momento, da Região Norte, apenas o estado do Tocantins teve o monitoramento divulgado. Por lá, diminuíram as áreas sob influência da seca.

*Com produção de Renato Lima.

Postado em 21 de fevereiro de 2022