Mossoró/RN, 16 de Maio de 2022

RN bate recordes de abate de suínos e produção de ovos 

O abate de suínos no RN foi de 4.624 cabeças no quarto trimestre de 2021, esse foi o maior número de toda a série histórica da pesquisa nas últimas duas décadas. Em comparação com o trimestre anterior, no qual o estado potiguar registrara seu maior número até aquele momento (3.812), houve um incremento de 21%. No Nordeste, só o estado da Bahia apresentou redução para o último trimestre do ano. Ademais, foi apenas a segunda vez que o RN passou a marca de 4,5 mil abates de suínos, a última vez que isso ocorreu foi em 2019.

2021 termina com menor abate bovino dos últimos 17 anos

A pesquisa também traz informações sobre o número de bovinos abatidos. No RN, no quarto trimestre de 2021, esse número foi de 16.950 – dentre bois, vacas, novilhos, novilhas, vitelos e vitelas – o que corresponde à terceira pior quantidade de um trimestre da última década no estado. Em todo o ano de 2021, foram abatidos 63 mil bovinos, o que significa o menor número de abates desde 2004 (43mil).

No trimestre atual, o RN apresentou uma queda de 1,5% no abate de bovinos em relação ao anterior. O estado juntamente com o Maranhão (-3,1%), foram os únicos do Nordeste que registraram decréscimo. Houve também uma redução de 7,6% quando comparado ao 4º trimestre de 2020. Tratam-se de dados divulgados pela Pesquisa Trimestral de Abate, divulgada pelo IBGE neste mês de março.

Com esses números, o RN permanece sendo o penúltimo estado da região Nordeste em termos de abates de bovinos, ficando à frente apenas da Paraíba (15.096 cabeças). Em primeiro lugar está o estado da Bahia, tendo abatido mais de 241 mil bovinos.

A Pesquisa Trimestral de Abate de Animais do IBGE investiga a quantidade de animais abatidos e o peso total das carcaças, por espécie, em todos os estabelecimentos (abatedouros) sob fiscalização federal, estadual ou municipal.

Quantidade de ovos produzidos no RN bate novo recorde e é a maior de toda a série histórica

No somatório dos meses de outubro a dezembro, a produção de dúzias de ovos de galinha superou 9,9 milhões no Rio Grande do Norte, o maior número desde o início da pesquisa em 1987. Esse aumento foi acompanhado pelos demais estados do Nordeste, exceto o Piauí que registrou queda de 4,7%.

No entanto, o número de galinhas poedeiras não acompanhou esse crescimento. O RN contava com cerca 1,5 milhão de cabeças no quarto trimestre de 2021, registrando uma diminuição de 5% dessa quantidade em relação ao recorde obtido no trimestre anterior (1,6 milhão de cabeças, aproximadamente).

O estado potiguar é, atualmente, o quarto colocado na região Nordeste, tanto na produção de ovos quanto no número galinhas poedeiras, posição que já ocupava no trimestre anterior.

Os dados da Produção de Ovos de Galinha (POG) são divulgados trimestralmente pelo IBGE e suas informações são obtidas em estabelecimentos agropecuários que se dedicam à atividade de produção de ovos de galinha, independentemente de sua finalidade, e com capacidade de alojamento de 10.000 ou mais galinhas poedeiras e/ou matrizeiras.

Produção de leite industrializado no último trimestre tem o maior crescimento de 2021

O Rio Grande do Norte produziu cerca de 18,5 milhões de litros de leite industrializado no quarto trimestre de 2021, o que representa um aumento de 4,2% na produção em relação ao trimestre anterior. Apesar disso, o estado potiguar caiu duas posições dentre os estados do Nordeste, ficando à frente apenas do Maranhão (14,8 milhões de litros) e Piauí (4,3 milhões de litros). O maior produtor da região continua sendo a Bahia (155,8 milhões de litros).

Destaca-se ainda que todos os estados brasileiros apresentaram aumento na produção de leite industrializado, com exceção apenas daqueles que compõe a Região Sul.

Postado em 16 de março de 2022