Mossoró/RN, 19 de Agosto de 2022

Em uma reunião com Randolfe e Jean Paul, Rodrigo Pacheco diz que vai analisar pedido de CPI do MEC na próxima semana

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, decidirá até a próxima terça-feira se vai determinar a instalação da CPI do MEC, solicitada pela oposição, e outros pedidos de comissões parlamentares de inquérito, feitos por governistas. Em uma reunião com os senadores Randolfe Rodrigues, da Rede do Amapá e Jean Paul Prates, do PT do Rio Grande do Norte, nesta quarta, ele levantou a possibilidade de se criar uma CPI unificada para tratar do Ministério da Educação. Nesse caso, seriam anexados o requerimento de Randolfe, para investigar as suspeitas de corrupção em repasses do MEC a municípios indicados pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura; e o da CPI das Obras Inacabadas do líder do governo, Carlos Portinho, do PL  do  Rio de Janeiro, para apurar ilegalidades em obras públicas de educação entre 2006 e 2018, e o suposto desvio de recursos do Fies. A ideia conta com a resistência da oposição. Randolfe  entende que seria uma maneira de desviar o foco das denúncias sobre a gestão do ex-ministro Milton Ribeiro. Mas não descarta um acordo com os governistas.

Há uma intenção nisso claramente de tumulto. Então, em princípio, nós da oposição somos avessos a essa ideia de juntar, mnas nos submeteremos do presidente do Senado em relação a isso, sobretudo se essa CPI das Obras Inacabadas juntar todas as relações de obras até a atualidade

O presidente Rodrigo Pacheco disse que vai analisar minuciosamente cada um dos  requisitos de criação de CPIs, especialmente no que diz respeito à ordem cronológica e à pertinência temática. Ele também se mostrou preocupado com a proximidade do período eleitoral.

Tudo isso vai ser examinado pela presidência, nós vamos ouvir a Advocacia do Senado, a Consultoria do Senado e tomar a melhor decisão que eu acredito que deva ser no início da próxima semana. É inegável dizer que os meses de agosto e setembro serão meses muito dedicados à questão eleitoral, então nós temos que avaliar o envolvimentos dos partidos políticos, dos senadores, no propósito desse de investigação em diversas CPIs

Além dos pedidos relacionados ao MEC, há outros dois requerimentos de abertura de CPI: a do Crime Organizado e Narcotráfico, do senador Eduardo Girão, do Podemos do Ceará , para investigar o avanço de associações criminosas no Brasil; e a CPI das ONGs, do senador Plínio Valério, do PSDB do Amazonas,  para apurar a utilização de recursos públicos por organizações não governamentais. Da Rádio Senado, Pedro Pincer

Postado em 29 de junho de 2022