Mossoró/RN, 18 de Agosto de 2022

RN perde posição para o Maranhão e passa a ocupar a 5ª colocação na participação das atividades industriais do Nordeste

Em 2020, a atividade industrial gerou, no Rio Grande do Norte, um montante de R$ 8,7 bilhões. Este volume é o Valor de Transformação Industrial, apurado pela Pesquisa Industrial Anual (PIA), divulgada nesta quinta-feira (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O VTI é resultado do valor bruto da produção industrial menos os custos das operações. Para chegar até esses números, o IBGE investigou todas as unidades locais de indústrias com, pelo menos, cinco pessoas ocupadas.

Os números divulgados hoje mostram que a atividade industrial do Rio Grande do Norte teve uma queda de 7,3% em comparação a 2019, quando o estado registrou R$ 9,4 bilhões em Valor de Transformação Industrial (VTI).

No total, a região Nordeste gerou R$ 143 bilhões em Valor de Transformação Industrial, o que significa que a participação do RN na macrorregião foi de apenas 6,1%. Em 2019, a participação potiguar no VTI da região foi de cerca de 7%.

Cresce o número de pessoas empregadas nas Indústrias potiguares

Em 2020, a indústria potiguar compreendia 1.769 empresas com cinco ou mais pessoas ocupadas. Comparado com os dados de 2019, houve um crescimento de 7,41%. Em relação a 2011, todavia, houve uma diminuição de 6,8% no número de empresas.

Ao todo, essas empresas geraram R$ 14 bilhões em receitas líquidas de vendas e pagaram um total de R$ 1,6 bilhão em salários e outras remunerações. Esse resultado veio com a participação de 60.376 pessoas empregadas no setor industrial do Rio Grande do Norte, representando um aumento 5,4% de pessoas ocupadas nas indústrias potiguares em relação ao ano de 2019.

RN perde uma posição para o Maranhão e passa a ocupar a 5ª colocação na participação das atividades industriais do Nordeste

O IBGE também pesquisou a participação das unidades da federação no Valor da Transformação Industrial (VTI) da região Nordeste. Entre 2011 e 2020, o Rio Grande do Norte teve uma queda de -1,2% no VTI, o que fez o estado cair para 5ª posição na região e ser ultrapassado pelo Maranhão, que cresceu 3% no mesmo intervalo.

Pernambuco continua sendo a unidade federativa nordestina que mais cresceu em participação. Em 2011 representava 16,1% do setor industrial da região ao passo que em  2020 este percentual chegou a 20%. Em números absolutos, o Valor da Transformação Industrial pernambucano foi de R$ 28,6 bilhões em 2020.

Apesar de ter caído 3,3% no período pesquisado, a Bahia ainda representa a maior parcela da região, 39,8%, o que significa R$ 56,8 bilhões. Em 2011, a indústria baiana era responsável por cerca de 43% do VTI do Nordeste.

PIA Produto

O IBGE também divulgou a Pesquisa Industrial Anual Produto 2020 (PIA Produto), que analisou, em 2020, cerca de 3,4 mil produtos e serviços industriais nas 31,7 mil empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas e suas 38,1 mil unidades locais industriais.

O maior valor de produção no Rio Grande do Norte provêm dos “Óleos brutos de petróleo”. No estado potiguar, essa categoria de produtos gerou cerca de R$ 2 bilhões em valor de produção em 2020, o terceiro maior entre as unidades da federação. Por outro lado, este valor sofreu uma redução de aproximadamente 33% na comparação com 2019, quando o RN registrou 3 bilhões de reais.

Em 2020, somente os estados do Rio de Janeiro (R$ 163 bilhões) e Espirito Santo (R$ 16 bilhões) superaram o Rio Grande do Norte em valor de produção.

Os outros quatro produtos ou serviços que o estado potiguar tem produção relevante dentro desta seleção são: gás natural, liquefeito ou no estado gasoso (R$ 1,7 bilhão em valor de produção); serviços de manutenção e reparação de geradores, transformadores etc (R$ 1,1 bilhão); sal marinho (R$ 551 milhões) e sal de cozinha iodado (R$ 329 milhões).

Postado em 22 de julho de 2022