Mossoró/RN, 05 de Outubro de 2022

Número de estabelecimentos comerciais cai 26% no RN em 10 anos

As unidades locais com receita de revenda potiguares (lojas, filiais, locais de venda etc) diminuíram, aproximadamente, 26% de 2011 a 2020: o número passou de 20,9 para 15,5 mil estabelecimentos no período.

O comércio varejista teve uma redução de 31% no número de unidades (de 17.583 para 12.133), e o comércio de veículos, peças e motocicletas perdeu 20% de seus estabelecimentos (de 1.985 para 1.575). Apenas o número de unidades de comércio por atacado cresceu no período, com um aumento de 34% (de 1.307 para 1.753).

Os dados são da Pesquisa Anual de Comércio (PAC) 2020, divulgada no dia 17 de agosto pelo IBGE. A PAC tem o objetivo de retratar características estruturais do comércio ao longo do tempo.

Número de pessoas ocupadas no comércio decresce 8% entre 2011 e 2020

O número de pessoas ocupadas no comércio potiguar decresceu 8% entre 2011 e 2020, caindo de 121 mil para 111 mil. No mesmo período, o número de pessoas ocupadas no comércio no Brasil e no Nordeste aumentaram, respectivamente, em 2% e 2,8%.

No RN, dos três segmentos do comércio analisados pela pesquisa, o atacado foi o único que teve crescimento no número de pessoas ocupadas, 14%. No varejo, houve decréscimo de 11%, e no comércio de veículos, peças e motocicletas, houve queda de 13%, de 2011 a 2020.

Participação do RN no comércio do Nordeste fica em 6,3%

O comércio do Rio Grande do Norte correspondeu a 6,3% da receita bruta de revenda do Nordeste em 2020. Em 2011, a participação potiguar era de 6,6%. A receita bruta corresponde à receita proveniente da atividade comercial exercida por uma empresa, sem dedução dos impostos e contribuições (ICMS, IPI, ISS, PIS/PASEP, COFINS, Simples Nacional etc.); e das vendas canceladas, abatimentos e descontos incondicionais relativos à comercialização de mercadorias.

Os estados com maior participação no comércio do Nordeste são: Bahia (26,5%) com R$ 184,5 bilhões em receita bruta de revenda; Pernambuco (20,4%) com R$ 141,8 bilhões; Ceará (15,0%) com R$ 104,6 bilhões; e Maranhão (10,1%) com R$ 70,7 bilhões.

No total, o comércio da região Nordeste obteve uma receita bruta de revenda de R$ 696,2 bilhões em 2020, o que representa 14,73% do comércio brasileiro. A receita bruta de revenda é o total das receitas que têm origem na atividade comercial da empresa sem descontos (tributários, de vendas canceladas e abatimentos incondicionais por exemplo).

Postado em 20 de agosto de 2022