Mossoró/RN, 27 de Novembro de 2022

Governadora Fátima Bezerra participa de Missa pelos 75 anos do bispo Dom Mariano Manzana

Foto: Raiane Miranda 

“Muito me alegra poder participar desta Celebração Eucarística de Ação de Graças”. A saudação da governadora do Estado do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, aconteceu na noite desta quinta-feira, 13 de outubro, na Missa Eucarística pelo aniversário de 75 anos do bispo Dom Mariano Manzana. A solenidade foi realizada pela Diocese de Santa Luzia de Mossoró na Catedral de Santa Luzia. Na ocasião, a chefe do Poder Executivo Estadual presenteou o sexto bispo de Mossoró com a bandeira do Estado do Rio Grande do Norte e a imagem de Santa Luzia esculpida pela artesã Maria de Lourdes Diniz da Silva.

Além de um símbolo para eternizar a fé em Santa Luzia, expressa na escultura, a governadora afirmou que a bandeira do Rio Grande do Norte é um agradecimento ao trabalho e dedicação de Dom Mariano ao Estado.

“Eu gostaria, antes de tudo, na qualidade de Governadora do Estado do Rio Grande do Norte, de felicitá-lo, desejar vida longa, sempre repleta de saúde e paz. E, por outro lado, eu não poderia deixar também de parabenizar e agradecer por todos os feitos realizados pelo senhor nesta Diocese de Santa Luzia, que compreende uma grande parte de nossas queridas terras potiguares. Foram muitas obras. Encontramos sempre no senhor um homem sensato, um homem prudente, um homem de oração, sinônimo de um pastor verdadeiro que nos ensina a seguir os passos de Jesus”, falou a governadora Fátima Bezerra.

A missa celebrada por Dom Mariano Manzana, contou com a presença também do bispo da Diocese de Caicó, Dom Antônio Carlos, do Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, e do Bispo da Diocese de Cajazeiras-PB, Dom Francisco de Sales.

Aos 75 anos, a Igreja pede que os bispos apresentem a carta de renúncia ao cargo que desenvolvem na Igreja. O Código de Direito Canônico prescreve: “o Bispo diocesano, que tiver completado setenta e cinco anos de idade, é solicitado a apresentar a renúncia do ofício ao Sumo Pontífice, que, ponderando todas as circunstâncias, tomará providências”. (Cân.401-§ 1).

Depois do envio ao Papa da carta redigida e lida, nesta quinta, por Dom Mariano aos fiéis, caberá ao líder da Igreja Católica e Chefe de Estado da cidade do Vaticano decidir se vai aceitar ou não a renúncia.

“Quanto a mim, enquanto for bispo desta Diocese, me dedicarei com amor à minha responsabilidade, como tenho procurado fazer desde o dia 17 de setembro 2004, quando na Catedral eu assumi o meu ofício. Por um lado, tenho consciência de que, quando for aceita a minha renúncia, poderei continuar colaborando com a Igreja de muitos outros modos. E estarei sempre em oração pela nossa Diocese e em agradecimento a todos. Muito obrigado!”, afirma em carta Dom Mariano.

O líder religioso traz no documento um agradecimento a Deus pela alegria de completar 75 anos de vida e 18 anos de mandato de pastor da Diocese de Santa Luzia.

O sexto bispo de Mossoró fez um relato das ações mais importantes do seu mandato e destacou os objetivos que nortearam o seu serviço episcopal: Impregnar com espírito pastoral ordinária a Diocese de Mossoró; união para formação presbiteral, com 52 novos padres; e auto sustentabilidade econômica da Diocese.

Dom Mariano Manzana é bispo da Diocese de Santa Luzia de Mossoró desde 17 de setembro. Atualmente, é o bispo referencial pela segunda vez da Comissão para Animação Bíblico-Catequética do Regional Nordeste II da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e Chanceler da Faculdade Católica do Rio Grande do Norte.

Além de celebrar os 75 anos de Dom Mariano, a data também marca o retorno das atividades na Catedral, que ficou quatro meses fechada para que fosse realizada a primeira etapa da reforma do local.

A solenidade contou também com o lançamento do livro “Diocese de Mossoró: 18 anos de missão” e um documentário, produzido pela TCM Telecom, que faz memória ao bispado de Dom Mariano.

Estiveram presentes também o prefeito de Mossoró, Allysson Bezerra, a deputada estadual Isolda Dantas, as vereadoras de Mossoró Marleide Cunha e Larissa Rosado.

Biografia de Dom Mariano

Dom Mariano Manzana nasceu em 13 de outubro de 1947, numa pequena cidade chamada Mori, na região de Trentino-Alto Ádige na Itália. No dia 26 de junho de 1973 foi ordenado padre na Catedral de Trento, passando a servir como sacerdote na Paróquia Pio X até 1976. Mariano Manzana, na época padre, veio ao Brasil após serem identificadas dificuldades para encontrar padres que atuassem no Brasil, bem como na Diocese de Mossoró.

Em 1977, o então Pe. Mariano Manzana chegou ao país para assumir a Paróquia de Umarizal, como vigário paroquial até o ano de 1993. Foi também professor de ensino religioso, no período de 1978-1993, na rede estadual de ensino de Umarizal (RN) e de 1991 a 1993 foi professor de História Eclesiástica, no curso de Teologia, do Centro Superior de Iniciação Teológica da Diocese de Mossoró.

Além de sacerdote no município, o Pe. Mariano foi Diretor Espiritual no Seminário Maior de João Pessoa (PB), com o objetivo de acompanhar todos os seminaristas que eram encaminhados pela Diocese. Também assumiu as paróquias de Alexandria e Caraúbas.

Em 1994, retornou à Itália para assumir a função de Diretor do Centro Missionário Diocesano de Trento. Cargo em que permaneceu até sua nomeação para ser bispo da Diocese de Mossoró, após receber o convite para assumir como sexto bispo. Em 15 de junho do mesmo ano, foi nomeado Bispo da Diocese de Santa Luzia de Mossoró.

Em 5 de setembro de 2004, Pe. Mariano recebeu, na Itália, a Ordenação Episcopal pelas mãos de Dom Luigi Bressan. Em 17 de outubro do mesmo ano, tomou posse durante cerimônia realizada na Catedral de Santa Luzia em Mossoró. Atualmente, além da função de bispo Diocesano, é o bispo referencial pela segunda vez da Comissão para Animação Bíblico-Catequética do Regional Nordeste II da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e Chanceler da Faculdade Católica do Rio Grande do Norte.

Postado em 14 de outubro de 2022