Mossoró/RN, 27 de Novembro de 2022

Nomofobia atinge crianças e preocupa especialistas

Por Carolina Pessôa – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

O uso frequente de celular por crianças, seja para checar ou mandar mensagens, ver redes sociais, pesquisar informações ou utilizar jogos, pode se tornar um vício. O medo de ficar sem acesso ao aparelho já tem inclusive um nome: nomofobia, que deriva da expressão inglesa no-mobile-phone phobia, e também pode atingir os pequenos.

O transtorno tem preocupado especialistas e, principalmente, os pais.

É o caso da administradora Fernanda Barbieri, que procura ter uma série de cuidados com o uso do celular pela filha.

“Ela já não leva o celular pra escola e fica o dia inteiro sem o celular durante a semana, e à noite ela usa o celular com hora controlada, até umas 21h30 no máximo e eu não costumo deixar ela ver o Youtube dia de semana, disse”.

Eduardo Jorge Custódio, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria e professor da Uerj, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, explica que, em crianças, a nomofobia pode ser ainda mais grave, pois o cérebro delas ainda está em formação….

A Sociedade Brasileira de Pediatria também dá recomendações para o controle do uso de celular por crianças e adolescentes, como supervisão do uso por pais e responsáveis, a oferta de outras alternativas de lazer para os filhos e dar o exemplo, com a diminuição do uso do aparelho dentro de casa.

Postado em 7 de novembro de 2022