Mossoró/RN, 27 de Maro de 2023

Lula anuncia os 16 ministros faltantes para seu novo governo

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Por Victor Ribeiro – Repórter da Rádio Nacional – Brasília

O presidente eleito Lula anunciou os 16 nomes que faltavam para completar os 37 ministros que farão parte do governo que toma posse neste domingo, dia 1º de janeiro.

Para dois ministérios estratégicos, Lula escolheu nomes próximos a ele. O atual chefe da segurança pessoal do presidente eleito, Gonçalves Dias, será o titular do Gabinete de Segurança Institucional. E para a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, o jornalista e deputado federal Paulo Pimenta, do PT do Rio Grande do Sul.

Lula anunciou mais cinco ministras. Das 37 pastas federais, 11 serão lideradas por mulheres. A senadora Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul, vai para o Ministério do Planejamento. A deputada federal eleita Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, assume a pasta do Meio Ambiente e da Mudança Climática, que ela chefiou de 2003 a 2008, nos dois primeiros governos Lula. A ex-jogadora de vôlei Ana Mozer será a ministra do Esporte, que volta a ter status de ministério. A líder indígena Sônia Guajajara vai para o novo Ministério dos Povos Originários. E a deputada Daniela do Waguinho, do União Brasil do Rio de Janeiro, vai para o Turismo.

O deputado federal Paulo Teixeira, do PT de São Paulo, será o ministro do Desenvolvimento Agrário. Para a Agricultura e Pecuária, o escolhido foi o senador Carlos Fávaro, do PSD de Mato Grosso. E, na Pesca, o deputado federal André de Paula, do PSD de Pernambuco.

O empresário e presidente do MDB do Pará, Jader Filho, foi o escolhido para o Ministério das Cidades. À frente do Desenvolvimento Regional estará o atual governador do Amapá, Waldez Góes, do PDT. O presidente do PDT, Carlos Lupi, também foi escalado e ficará na pasta da Previdência.

O senador Alexandre Silveira, do MDB de Minas Gerais, que foi relator da PEC da Transição, será o ministro de Minas e Energia. Para os Transportes, o escolhido é o ex-governador de Alagoas, Renan Filho, do MDB. E o deputado federal Juscelino Filho, do União Brasil do Maranhão, vai assumir o Ministério das Comunicações, debaixo de críticas de movimentos sociais e sindicais, que preferiam um nome próximo a bandeiras históricas do PT, como democratização das comunicações e regulação da mídia.

Os ministros tomam posse a partir deste domingo. Lula também anunciou as novas lideranças do governo, que vão ser empossadas no dia primeiro de fevereiro. O líder na Câmara será o deputado José Guimarães, do PT do Ceará; no Senado, Jaques Wagner, do PT baiano; e o líder do governo no Congresso, Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá.

Postado em 30 de dezembro de 2022