Mossoró/RN, 23 de Maro de 2023

Morador de rua não trocava bolsa de colostomia; “Não sei como ele ainda estava vivo”, diz pessoa que o conhecia

A morte do morador de rua Antônio Luiz Rodrigues (48), na última quinta-feira (26), causou comoção e ganhou a imprensa, até nacional, por uma informação errada. Foi noticiado que Antônio havia falecido em decorrência de queimaduras provocadas por óleo quente, que teria sido jogado por um comerciante.

No entanto, a causa do óbito do morador de rua, segundo o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), foi uma infecção generalizada.

“O paciente deu entrada na unidade no dia 24 de janeiro com histórico de infecções urinárias e atendimentos em Unidades de Pronto Atendimentos da cidade de Mossoró. O paciente era colostomizado e na entrada do hospital, o diagnóstico foi infecção urinária avançada, que evoluiu para uma infecção generalizada, septicemia e óbito no dia 26 de janeiro”, divulgou o HRTM.

O corpo de Antônio Luiz não passou pelo ITEP, conforme informado pelo órgão ao PORTAL DO OESTE.

Uma fonte informou ao PORTAL DO OESTE, sob anonimato, que o morador havia colocado uma bolsa de colostomia há alguma meses e não fazia a higienização. “Ele nunca trocou essa bolsa. Não sei como ele ainda estava vivo”, relata a fonte, que via Antônio Luiz com alguma frequência.

A bolsa deve ser trocada de 5 a 7 dias, ou antes, se houver necessidade.

Segundo essa fonte, o morador de rua não conseguia andar direito e tinha aparência de estar muito doente. “Ele estava todo inchado. Eu tinha pena, mas não tinha muito o que fazer”, relatou.

O próprio Governo do Estado soltou nota corroborando com a tese que Antônio Luís havia morrido em decorrência de queimaduras graves pelo corpo, o que não foi confirmado pelo HRTM.

Postado em 30 de janeiro de 2023