Mossoró/RN, 01 de Fevereiro de 2023


MAGNOS ALVES
Jornalista

Definição da diretoria do Hospital da Mulher provoca desgaste entre o Governo Fátima e Isolda

A definição da diretoria do Hospital da Mulher provocou desgaste entre o Governo Fátima e a deputada estadual Isolda Dantas, ambas do PT.

Circulou informação do mandado da deputada de que foi de Isolda a indicação da diretora-geral da unidade hospitalar instalada em Mossoró, Elenimar Costa Bezerra (Leninha). No entanto, o Governo Fátima fez questão de rechaçar essa hipótese e afirmou que os diretores, incluindo Lauro Gabriel Bezerra Santos ( diretor-administrativo), foram escolhidos “com base em critérios técnicos”.

Causa estranheza a necessidade de o Governo Fátima fazer questão de afirmar que a diretoria Hospital da Mulher foi uma escolha técnica para contestar a deputada, já que o Hospital Tarcísio Maia foi usado como moeda de troca por apoio político há bem pouco tempo.

Postado em 29 de dezembro de 2022

Fátima vai se livrar do Aeroporto Governador Dix-sept Rosado

A governadora Fátima Bezerra cumpre agenda nesta quinta-feira, 29, em Mossoró.

Em um dos seus compromissos na cidade, Fátima vai ser livrar do Aeroporto Governador Dix-sept Rosado. Ela vai assinar Ordem de Serviço transferindo para a Infraero a gestão administrativa e operacional do importante e historicamente esquecido equipamento.

Com a transferência, cerca de 15 pessoas que trabalhavam no aeroporto foram dispensadas.

A governadora também vai inaugurar o Hospital da Mulher Parteira Maria Correia.

Postado em 28 de dezembro de 2022

BLOG DO MAGNOS: Assembleia Legislativa tenta esconder aprovação de aumento do ICMS

Foto: Eduardo Maia

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN) tentou esconder a aprovação, nesta quarta-feira (21), do projeto que aumentou o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

Em release enviando à imprensa, a ALRN deu destaque a aprovação aos projetos que tratam sobre a implantação do programa de conscientização e controle de diabetes na rede pública estadual e a Política Estadual de Atenção aos Refugiados, Apátridas e Migrantes.

Embora, de longe, o mais importante, o projeto que aumentou o ICMS só foi citado no fim do release, sem qualquer destaque ou detalhe.

De acordo com a Tribuna do Norte, a bancada governista apresentou uma emenda que prevê o aumento da alíquota modal do ICMS de 18% para 20% somente em 2023, retornando aos 18% em 2024. 

A proposta original previa que a alíquota em 2024 fosse de 19%, retornando aos 18% somente em 2025. Além disso, o número de itens da cesta básica que terão redução para 7% no ICMS serão ampliados além dos cinco previstos.

Postado em 21 de dezembro de 2022

Em artigo, Allyson diz que “desunião política é motivo para lacuna histórica referente a grandes projetos na cidade”

Foto: Célio Duarte

Por: Allyson Bezerra – Prefeito de Mossoró

Há décadas, a população mossoroense transmite à classe política e aos gestores municipais, através de diferentes formas de manifestações, protestos e movimentos articulados de instituições, organizações do terceiro setor e entidades de classe, os seus sonhos, necessidades, reivindicações, projetos e ideias.

Desse modo, convém dizer que a sociedade passa para nós, pessoas públicas, o que ela quer para o presente e projeta para o futuro. É importante ainda destacar que, muitos desses projetos e sonhos, anteriormente vistos como projetos necessários para o futuro, infelizmente, ficaram em um passado de esquecimento, mas hoje se tornaram de máxima urgência.

Nesse contexto, posso citar a reivindicação relativa à duplicação da Avenida Francisco Mota, conhecida como avenida universitária, em virtude do avanço do Campus da Ufersa, do IFRN, da UERN, da instalação do Complexo Judiciário, bem como pela movimentação da própria indústria salineira com o trânsito de centenas de carretas, ocasionando inúmeros casos de acidentes de trânsito. Por essa razão, a referida duplicação não é apenas ideal, mas, sobretudo, urgente.

Noutro passo, quero ressaltar que, como engenheiro civil tenho uma forte paixão em ver obras acontecendo: avenidas sendo duplicadas, estradas sendo abertas, ruas sendo asfaltadas, assegurando mobilidade. Todavia, gostaria de falar sobre algo que transcende uma obra de engenharia, porque remete a origem da nossa cidade. Falo de um simples vilarejo, criado às margens de um rio, do qual originasse o nome do maior município em área territorial do Estado; a maior cidade do interior do Rio Grande do Norte; uma das 20 maiores do Nordeste, figurando entre as 100 maiores do país. Mossoró nasceu graças à pujança econômica, comercial e agropecuária ligadas ao seu rio, mas, que ao longo do último século, notadamente das últimas décadas, esse mesmo rio não foi visto sob um olhar de preservação e de desenvolvimento.

Logo, não se pode falar da realização de obras sonhadas há tanto tempo, sem elevar a revitalização, a despoluição e a urbanização da orla do Rio Mossoró ao patamar de prioridades. Isso porque, o rio, como outrora, continua sendo uma fonte potencial de desenvolvimento para Mossoró. Por isso, é preciso ter responsabilidade ambiental e ousadia desenvolvimentista para transformar o Rio Mossoró em um grande cartão postal, impulsionando o turismo, lazer e geração de emprego e renda para a população, proporcionando dignidade para milhares de pais, mães e jovens mossoroenses.

Nesse sentido, a falta de um plano norteador para investimento no município não se deve apenas à falta de visão e de vontade política, mas, principalmente, à irresponsabilidade fiscal e administrativa dos que não aproveitaram os tempos de auge dos recursos dos royalties do petróleo, que irrigavam os cofres da Prefeitura. Ao contrário disso, deixaram a Prefeitura desorganizada administrativa e financeiramente, a ponto de não conseguir honrar suas obrigações mais básicas, como pagamento do salário e previdência dos servidores, bem como pagamento de fornecedores, em decorrência de prestações de serviços.

Além disso, a desunião política é outro motivo para essa lacuna histórica referente a grandes projetos na cidade. Lembro de quando fomos a Brasília e conseguimos assegurar mais de R$ 40 milhões junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional para a tão sonhada obra do anel viário ligando a BR110 (saída para Areia Branca) até a BR-304, passando pelo Rio Mossoró. Esse grande projeto de mobilidade urbana que está em curso é um exemplo de que podemos, e devemos, deixar de lado as diferenças partidárias e construir parcerias políticas, prezando pelo interesse público.

Não se pode esquecer que quando assumi a Prefeitura tive que enfrentar situação de calamidade financeira e administrativa. Diante do quadro de instabilidade, empreendi esforços no sentido de implementar uma gestão comprometida com os princípios norteadores da Administração Pública. Devido a esse trabalho, a gestão obtém o reconhecimento do Tesouro Nacional Brasileiro/Governo Federal, que coloca Mossoró pela primeira vez no topo do seleto grupo que tem “Nota A” na Capacidade de Pagamento (CAPAG) – índice mais importante para avaliar a capacidade de municípios e estados de captarem recursos nacionais e internacionais para novos investimentos.

É importante lembrar ainda que defendi no meu Plano de Governo, enquanto candidato a prefeito de Mossoró, a necessidade de produzir um planejamento estratégico para a gestão pública municipal, com a participação de diversos setores da sociedade. Esse Plano Estratégico deve ser construído com a preocupação de resolver problemas crônicos vivenciados pela população, através de instituições do terceiro setor, das associações empresariais, cidadãos e trabalhadores. Hoje, como prefeito, faço uma gestão ouvindo as pessoas, visitando os bairros e comunidades e que uso das redes sociais para dar transparência e oportunizar a participação dos cidadãos mossoroenses nas ações e projetos da gestão. Embaso esse raciocínio com a frase que fiz questão de escrever no primeiro dia que entrei no Palácio da Resistência: “O povo chegou à Prefeitura de Mossoró”!.

O plano estratégico, aqui citado, deve dar resolutividade à falta de acessibilidade do Centro da cidade, sem esquecer de dar condições para que ambulantes e camelôs tenham local digno de trabalho. Ou seja, precisamos resolver um problema histórico, que inclusive já foi pauta judicial, sem criar um conflito social. Esse plano deve se atentar a levar serviços públicos essenciais como saúde, educação, pavimentação e iluminação pública para novas áreas em expansão, como novos conjuntos habitacionais e loteamentos, bem como se preocupar em resolver problemas e gargalos históricos, oriundos da falta de planejamento urbano e de investimento em infraestrutura, como, por exemplo, a falta de drenagem em bairros tradicionais de Mossoró, que provoca inundações recorrentes no período chuvoso.

Defendo que Mossoró trabalhe para entrar no rol das chamadas ‘Smart Cities’, conceito mundialmente referenciado para cidades que trabalham com eficiência energética, videomonitoramento, tecnologia de inteligência artificial e informatização dos serviços públicos.

Pelo exposto, este plano deverá ser construído por quem vive à cidade, quem mora na cidade, deverá ser construído pelo povo, ao mesmo tempo somando esforços junto ao Governo Federal, Governo Estadual, Bancada Federal e organismos nacionais e internacionais que financiam o investimento público para dar à condição de realizar os sonhos da população de ver esses projetos que aqui citei e tantos outros se tornando realidade. É hora de trabalhar ainda mais forte para REALIZAR OS SONHOS DO POVO DE MOSSORÓ.

Mossoró/RN, 6 de dezembro de 2022

Postado em 6 de dezembro de 2022

Com dezenas de praças na periferia, iniciar programa de pontos de internet em Mossoró pela Praça do Rotary é um absurdo

Foto: Allan Phablo (Secom/PMM)

Por BLOG DO MAGNOS

Com tantas praças públicas em tantas localidades carentes em Mossoró, a Prefeitura de Mossoró escolheu a Praça do Rotary, no bairro Nova Betânia, para iniciar um programa de pontos de internet sem fio.

A escolha tem provocado questionamentos nas redes sociais sobre a necessidade de a Praça do Rotary, localizada em região de pessoas de classe alta, ter internet gratuita e ainda ter prioridade na instalação do serviço.

Além da Praça do Rotary, a Praça da Redenção, no Centro, também está recebendo Wi-FI. Nada de periferia.

São escolhas absurdas e que mostram falta de sensibilidade.

O BLOG DO MAGNOS entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Mossoró solicitando um posicionamento sobre essa polêmica, mas não teve retorno até o momento.

Postado em 23 de outubro de 2022

Prefeito Allyson Bezerra, “o neutro”, faz carreata em Mossoró com máquinas do orçamento secreto que estavam encostadas há meses na Ufersa

Foto: João Batista-PMM

Blog do MAGNOS

Todo mundo sabe que o prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra, é bolsonarista. Todo mundo sabe também que a tal neutralidade anunciada por ele no segundo turno da Eleição Presidencial não existe.

“O neutro” Allyson tem exaltado os feitos do governo Bolsonaro para Mossoró em suas entrevistas, deixando bem reluzente a sua escolha para o dia 30 de outubro.

E se não bastasse as entrevistas, o prefeito promoveu uma carreata, há 10 dias da eleição, com máquinas adquiridas através do orçamento secreto e que estavam encostadas há meses em pátio da Ufersa.

Parece óbvio que o único motivo da carreata foi mostrar “o trabalho” de Bolsonaro por Mossoró, apesar da anunciada “neutralidade” de Allyson.

As máquinas chegaram a Mossoró via Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que está atolada em denúncias de corrupção na aplicação dos recursos do orçamento secreto.

Postado em 21 de outubro de 2022

Fracasso de Mossoró nas urnas é resultado do pensamento individual dos nossos políticos

Mossoró terá apenas Isolda Dantas (PT) como representante na Assembleia Legislativa a partir de 2023 e no Congresso Nacional o vazio falará por nós.

As urnas em 2022 deram continuidade a um processo iniciado já há algumas eleições e é resultado do pensamento individual dos nossos políticos.

Em se tratando de cadeiras no legislativo estadual, já lá em 2014, o então prefeito Silveira Júnior, em benefício próprio, anunciou que Galeno Torquato seria “o deputado de Mossoró”.

Em 2018, a prefeita Rosalba Ciarlini apoiou Larissa Rosado e mais um monte de gente, repetindo a mesma estratégia neste ano, já como ex-prefeita. O resultado foi o mesmo: Rosalba não elegeu seus candidatos “preferidos”.

Mesmo com Beto Rosado sendo a prioridade de Rosalba nas duas últimas eleições, ele não se elegeu em nenhuma, pelo menos nas urnas, estando concluído o atual mandato por pura convivência da nossa justiça. Resultado é que desta vez não há brecha para pedir ajuda à justiça para Mossoró continuar tendo representante na Câmara dos Deputados.

O atual prefeito, Allyson Bezerra, também não saiu ileso. Ao escantear Cabo Tony e optar por Jadson, deixou Mossoró sem nenhum dos dois na Assembleia Legislativa.

Mas não são apenas os prefeitos os culpados. Os candidatos também. Quantos tivemos em Mossoró neste ano? Aos montes.

Já pensou se junta Lawrence Amorim com Pablo Aires, Tony com Jadson, Jorge com Larissa, Beto com Sandra…? O resultado para Mossoró nas urnas muito provavelmente seria bem diferente.

E com cada um pensando mais em seus projetos individuais e cada vez menos em Mossoró, a segunda maior cidade do estado vai sendo engolida por outras bem menores em questão de representatividade política.

Postado em 6 de outubro de 2022

TCM realiza ação em Governador Dix-Sept Rosado neste sábado (23)

Para se conectar ainda mais com as cidades em que atua, a TCM dá sequência ao seu planejamento estratégico e realizará neste sábado (23) uma super ação de vendas em Governador Dix-Sept Rosado. A programação começa a partir das 9h da manhã na loja da TCM, que fica localizada à Rua José Félix da Silva, 129, sala 04, no Centro da cidade.

Brindes, música e condições especiais para você ter o melhor da TV, Internet, Streaming e Telefonia móvel com a TCM, você encontra durante a ação em Governador. Vá até a loja TCM e confira nossos combos com preços especiais.

Postado em 22 de julho de 2022

BLOG DO MAGNOS: Com orçamento de R$ 192 milhões, educação de Mossoró não precisa de recursos do MCJ para resolver seus problemas

O orçamento da Prefeitura de Mossoró de 2022 reservou exatos R$ 192.363.083 para a educação. Um grande volume de recursos capaz de atender a todas as necessidades da área.

O valor total de R$ 1 milhão, referentes aos cachês dos shows de Wesley Safadão e Xand Avião que estão com pedido de suspensão do MPRN, representa pouco mais de 0,5% do orçamento destinado para a educação.

Com mais de R$ 192 milhões, a educação de Mossoró não precisa de recursos do Mossoró Cidade Junina para resolver seus problemas.

De acordo com dados do Portal da Transparência da Prefeitura de Mossoró, até maio, as despesas com educação totalizaram R$ 38 milhões. Há uma margem muito grande para investimento. O MPRN pode exigir na justiça que os problemas sejam resolvidos sem atingir o MCJ ou qualquer outro investimento.

Postado em 2 de junho de 2022

BLOG DO MAGNOS: Mossoró é uma cidade feita de problemas históricos, e a culpa é de todos

Para pedir a suspensão de shows do MCJ 2022, o MPRN argumentou a existência de problemas históricos na educação de Mossoró. Falou a mais pura verdade.

E não é só na educação. Mossoró é uma cidade feita de problemas históricos e ignorados em todas as áreas, especialmente na saúde.

E de quem é a culpa? A culpa é de todos.

Os maiores culpados, claro, foram às diversas gestões que passaram pelo Palácio da Resistência e fizeram de conta que não estavam vendo esses problemas. Mossoró sempre foi uma cidade de faz de conta e com gestores que venderam muita enganação, tal como a história da capital da cultura ou do maior São João do país. O país de Mossoró não passa de um país de enrolação. Mas a culpa também é minha, sua, da classe política que só se ocupa em fazer politicagem, do MPRN, da justiça e de todos que poderiam ter feito algo para mudar esse cenário.

Como pode, por exemplo, a segunda maior cidade do estado não ter um hospital municipal? Pode por um simples motivo: todos nós somos coniventes.

Historicamente, Mossoró tem problemas de mobilidade, saúde, educação, assistência social, em todas as áreas.

Mudar essa realidade só depende da vontade dos culpados. Do gestor de enfrentar os problemas de frente, do MPRN de realmente cobrar pelos caminhos adequados, da justiça de determinar que as mudanças sejam feitas e da população de se revoltar com esses problemas ao ponto de eles serem resolvidos.

O poder está com todos nós. É só querer. Mas nós queremos?

Postado em 2 de junho de 2022

BLOG DO MAGNOS: O decreto de graça constitucional editado pelo Poder Executivo é nulo

Por João Ibaixe Jr.

O instituto da graça concedido pelo Poder Executivo, ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado na quarta (20) a oito anos e nove meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal por ameaças aos ministros da Corte, previsto na nossa Constituição Federal de 1988 (art. 84, XII) e na Lei de Execução Penal (art. 188 e seguintes), é de raro uso em nossa história constitucional-penal.

Embora seja uma prerrogativa do presidente da República para extinguir a condenação de uma pessoa, penso que o decreto de graça constitucional editado pelo Poder Executivo é nulo porque carece de fundamentação constitucional, pois não cumpre as exigências de sua motivação e nasce de interesse diverso do presente no texto da Carta Magna; não atende a requisitos do ato jurídico, porque foge ao interesse público; e, por fim, contraria a lógica do instituto da graça, que nasce como um mecanismo de reparação de eventuais injustiças e não com objetivo de acomodar apoiadores e menos ainda como meio para desrespeito e ofensa ao princ&ia cute;pio da tripartição de poderes.

Vale ressaltar também que não ocorreu o trânsito em julgado, consta expressa referência à “liberdade de expressão”, o que indica uma crítica ao julgado, proibida neste ato pelo princípio da tripartição de poderes. Por fim, alega “comoção nacional”, a qual não existe.

A graça deve ter uma lógica humanitária coerente e proporcional, cuja decorrência esteja presente no próprio ato. Haverá questionamentos e o STF decidirá a questão.

Os desdobramentos do caso serão jurídicos e políticos. O decreto não tem o poder de bloquear efeitos sobre multa e inelegibilidade. Como é desrespeitoso, o decreto possivelmente será duramente questionado no STF. No plano político, o presidente jogou a favor de seus apoiadores e espera colher resultados positivos à frente.

Em vista dos fatos apresentados, apesar da aparência travestir-se de decreto, seu teor é uma espécie de “recurso” em face de uma decisão judicial, o que é proibido em qualquer Estado que se denomine de democrático constitucional.

João Ibaixe Jr.
Advogado criminalista e ex-delegado de Polícia. É especialista em Direito Penal, pós-graduado em Filosofia, Ciências Sociais e Teoria Psicanalítica e mestre em Filosofia do Direito e do Estado.

Postado em 25 de abril de 2022

BLOG DO MAGNOS: Allyson não imprime gestão nova e está cada vez mais parecido com Rosalba e demais antecessores

BLOG DO MAGNOS

A promessa era de fazer o novo. Mas de novo nada ainda existe. Na verdade, a cada ato, a gestão do prefeito Allyson Bezerra está cada vez mais parecida com o governo Rosalba Ciarlini e seus demais antecessores. No final do ano passado CONFIRA AQUI, analisamos que o atual não era mais, nem menos em relação ao anterior. Agora, apenas dois meses depois, ele caminha aceleradamente para ser cópia do que passou.

Neste ano, atos comuns do governo Rosalba, como falta de transparência, perseguição de servidores e imposição sobre a Câmara, já são vistos com Allyson. Até o discurso da ex-prefeita para não pagar o reajuste piso do magistério, o atual governo também adotou.

Sabe aquele velha conversa de Rosalba, em 2019, que o piso já era pago? Se repete agora em 2022. A diferença é que muita gente que afirmava que era mentira da ex-prefeita, agora está afirmando que é verdade de Allyson.

É importante citar que em 2020, ano de eleição, Rosalba pagou o reajuste normalmente, sem questionar ou repetir que o piso já era pago. Mas é que em ano de eleição tudo acontece, até promessas repetidas, que nunca se realizam, de fazer o novo.

Postado em 4 de março de 2022

BLOG DO MAGNOS: Senador Jean não tem densidade política ou peso digital para exigir tentativa de reeleição

Por dois motivos essenciais, o senador Jean Paul Prates (PT) não tem como reclamar muito da decisão da governadora Fátima Bezerra (PT) de trocá-lo por Carlos Eduardo (PDT) na chapa que está sendo composta para as eleições de 2022: falta de densidade política e peso digital.

Jean não tem votos e nem presença digital, que são hoje as sustentações de qualquer candidato. O senador jamais tirou um voto. Ocupa a cadeira herdada da governadora.

Em sua única experiência direta com as urnas, o senador teve 49.494 votos na disputa pela Prefeitura do Natal, em 2020. Eleito no primeiro turno com o apoio de Carlos Eduardo, Alvaro Dias abocanhou 194.764 votos, quase quatro vezes mais.

A presença digital de Jean também não impulsiona o seu desejo de tentar a reeleição. São 27,1 seguidores no Instagram e 22,3 mil no Twitter, além de 15.2 mil amigos no Facebook e apenas 982 inscritos no canal no Youtube. Muito pouco para ele compensar a falta de densidade política.

Postado em 23 de fevereiro de 2022

BLOG DO MAGNOS: Fábio Faria desiste de pré-candidatura, e não vai deixar saudade na política se cumprir promessa

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou hoje a desistência da pré-candidatura ao Senado pelo Rio Grande do Norte.

Com um projeto político inviável, Fábio justificou que vai permanecer ministro para concluir o projeto do 5G.

O ministro anunciou ainda que vai voltar para a iniciativa privada.

Que Fábio Faria cumpra essa promessa. Ele sai da política sem deixar saudades para o povo potiguar. Como deputado se destacou pelos namoros com estrelas, como ministro, como puxa-saco de Bolsonaro. Já vai tarde.

Com a saída de cena de Fábio, o caminho ficou aberto para o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, ser o candidato bolsonarista ao Senado no RN. Marinho é o homem das reformas Trabalhista e da Previdência, com a promessa de geração de empregos que até hoje são esperados.

Postado em 22 de fevereiro de 2022

Volta a faltar insulinas em Mossoró; Prefeitura nega

Problema constante na gestão Rosalba Ciarlini, a falta de insulinas volta atormentar os diabéticos de Mossoró no governo Allyson Bezerra.

De acordo com denúncia feita ao PORTAL DO OESTE, desde o dia 2 de fevereiro que a insulina tresiba está em falta.

A Prefeitura de Mossoró divulgou nota, na terça-feira (08), informando que “os medicamentos, do tipo Tresiba, devem chegar ao município até sexta-feira, 11, e em seguida será dado início à distribuição”. 

A informação mais recente é que o medicamento chegou e será entregue na tarde de hoje.

A secretária de Saúde, Morgana Dantas, entrou em contato com o PORTAL DO OESTE para negar que tenha faltado insulina tresiba. “Não ficamos sem insulina um só dia. E ainda recebi hoje a que entregaremos nos próximos 3 meses.”, afirmou.

O PORTAL DO OESTE entrou em contato novamente com a pessoa que fez a denúncia e faz parte de um grupo de diabéticos, que reafirmou que a Prefeitura de Mossoró estava sem tresiba há uma semana.

Postado em 11 de fevereiro de 2022

Em movimento atípico, vereadores (ainda) da situação se reúnem com Sindserpum para discutir reforma da previdência municipal

Em movimento atípico na política mossoroense, vereadores (ainda) da situação se reuniram, nesta quarta-feira (09), com a diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum) para dialogar sobre pontos da reforma da previdência municipal, que deve ser votada na Câmara nos próximos dias.  

A comitiva de vereadores da situação foi formada pelos vereadores Tony Fernandes, Paulo Igor, Isaac da Casta, Carmém Júlia Montenegro, Lamarque Oliveira e Omar Nogueira (Patriotas), que formaram, ontem, o bloco parlamentar “Diálogo e Respeito”.

O encontro contou também com a vereadora Marleide Cunha (PT) e a presidente e o secretário geral do Sindiserpum, Eliete Vieira e Jerônimo Emiliano, respectivamente. “Podemos dizer que este é um momento histórico e é muito importante que os vereadores da situação tenham vindo até o sindicato para ouvir o posicionamento dos servidores com relação a este tema tão relevante e que precisa sim, ser discutido com atenção e responsabilidade”, ressaltou Eliete.

Postado em 9 de fevereiro de 2022

Câmara de Mossoró nunca teve tantos blocos em sua história; e não é um bom sinal para Allyson

Nunca na história, a Câmara de Mossoró teve tantos blocos parlamentares. São seis no total, com a criação, hoje, do bloco “Diálogo e Respeito”.

Até então, o legislativo mossoroense, historicamente, se resumia a uma divisão entre bancadas de situação e oposição. Em alguns casos, aparecia um vereador ou outro se colocando como “independente”.

Agora, temos as bancadas de governo e oposição, além dos blocos independentes, PSD/Podemos, PT/Progressistas e “Diálogo e Respeito”.

A extensa bancada de situação encolheu e conta atualmente com “apenas” 7 vereadores, além do presidente da Casa. Isso não quer dizer que o prefeito Allyson Bezerra terá dificuldades para aprovar seus projetos. Pelo menos, agora não. Pelo menos, dois dos quatro blocos votam de acordo com a orientação do Palácio da Resistência.

Mas o espalhamento dos vereadores por blocos diversos é um sinal que deve ter a atenção do Chefe do Executivo mossoroense. A bancada de situação já não tem a mesma coesão de outrora.

Confira os blocos abaixo:

Bancada do Governo:

Genilson Alves

Ricardo de Dodoca

Naldo Feitosa

Lucas das Malhas

Marckuty da Maísa   

Costinha

Edson Carlos

(Lawrence Amorim)

Bancada de Oposição:

Francisco Carlos

Larissa Rosado

Gideon Ismaias          

PSD/Podemos:

Líder: Raério Cabeção

Vice-Líder: Wiginis do Gás

Independentes:

Zé Peixeiro

Vice-Líder: Didi de Arnor

PT/Progressistas:

Pablo Aires

Marleide Cunha

Bloco “Diálogo e Respeito”

Tony Fernandes

Carmem Júlia

Omar Nogueira

Isaac da Casca

Lamarque Oliveira

Paulo Igo

Postado em 8 de fevereiro de 2022

Allyson e Fátima dedicam pouco espaço ao esporte, com promessas e programa não executado

BLOG DO MAGNOS

O prefeito Allyson Bezerra e a governadora Fátima Bezerra dedicaram pouco espaço para o esporte na leitura da mensagem anual do Poder Executivo na Câmara de Mossoró e Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, respectivamente.

Nessa terça-feira (01), Allyson reservou 18 linhas (incompletas) para exaltar a municipalização do Estádio Nogueirão, que é alvo de muitas reclamações; falar do pagamento do prêmio da prova ciclística Governador Dix-sept Rosado e prometer a criação do Circuito Mossoroense de Esportes e do projeto Vida na Praça.

Muito pouco para quem já perdeu mais de 13 meses. O ano passado foi quase nulo para o esporte amador em Mossoró (a própria mensagem não deixa dúvida). Culpa da pandemia? Pode até usar o coronavírus para justificar, mas só em parte. Mossoró não teve esporte no ano e sequer discussão sobre o futuro. Pelo menos foi que o afirmaram todos os desportistas que procurei. Ninguém que faz o esporte amador de Mossoró foi procurado para debater o esporte amador de Mossoró. Preocupante! Não temos esporte e nem debate sobre ele.

Mas se Allyson pouco falou de esporte, Fátima foi pior ainda. Apenas 3 linhas (igualmente incompletas) da mensagem foram dedicadas a esse tema tão importante.

A governadora se resumiu a falar sobre o projeto deve destinar R$ 5 milhões em ICMS para apoiar projetos esportivos. Não falou nem o nome do projeto, que quase ninguém conhece, imagine como é seu funcionamento. Eu, pessoalmente, não conheço. Já até solicitei cópia, mas nunca recebi.

Mas não se surpreenda. Não há nenhuma novidade. Historicamente, é assim que o esporte amador vem sendo tratando por quem passa pela Prefeitura de Mossoró e o Governo do RN. O esporte só parece importante nos discursos e para se aproveitar da imagem de quem vence nessa área, mesmo com a total falta de apoio. Que o diga o surfista medalhista olímpico Ítalo Ferreira.

Allyson ainda três anos para mudar um pouco dessa história de esquecimento, já Fátima, só se tiver um novo mandato. E é isso que ela quer.

Postado em 2 de fevereiro de 2022

Fátima troca a técnica pela política na Direção do Tarcísio Maia

POR BLOG DO MAGNOS

A governadora Fátima Bezerra (PT) trocou a técnica pela política na Direção Geral do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), em Mossoró. Sai a servidora de carreira Herbênia Ferreira da Silva e entra Francisca Nilza Batista, conhecida como Branca ou a sogra de Fernandinho das Padarias, o vice-prefeito de Mossoró.

Herbênia vinha desagradando, principalmente à classe política, pela forma rígida como administrativa o segundo maior hospital público do Rio Grande do Norte, respeitando as regras de acesso ao serviço público de saúde e sem ajeitados.

Agora, a tendência é que esse quadro seja revertido e o HRTM volte a ser o que era antes, quando muitos ganhavam preferência de atendimentos em razão de apadrinhamento político. É isso que acontece quando se troca a técnica pela política.

Branca chegou a ocupar o mesmo cargo no governo Robinson Faria, em 2018, mas foi exonerada dias depois. O motivo não vale nem a pena mencionar.

Agora, em troca de apoio político, é Fátima que cede ao desejo de Fernandinho das Padarias de comandar o HRTM. Que Deus proteja o HRTM e seus pacientes.

Postado em 12 de janeiro de 2022

Primeiro ano do mandato de Allyson não é o que a oposição pinta, nem o que o governismo desenha

O primeiro ano do mandato do prefeito Allysson Bezerra parece um desastre sobre os olhares de uns, mas também uma revolução na retina de outros. Mas, na verdade, não foi nenhuma coisa, nem outra. Não há nenhum problema que os mossoroenses ainda não tivessem visto, nem as soluções que há tempos são esperadas.

Allysson até aqui fez o trivial. Tá gastando e se aproveitando dos recursos do Finisa. Mas um projeto daqueles, que a gente não enxerga desde os tempos de Dix-Huit, não tem. Mas também não há na gestão atual problema novo, que não seja continuidade das últimas gestões.

Então, meu povo, não há motivos para críticas ferrenhas e nem para elogios fervorosos. Mossoró segue seu caminho, praticamente na mesma velocidade de sempre, ainda na expectativa de saber se vai pra frente ou pra trás. O tempo ainda dirá.

Postado em 4 de janeiro de 2022